terça-feira, 5 de agosto de 2014

Edir Macedo, o novo Salomão. Dilma, a nova rainha de Sabá.


A construção do templo.

Não podemos negar que o templo da IURD no Brás, bairro popular de São Paulo, é uma obra bonita e fantástica. Também não podemos negar que sua existência no roteiro turístico da capital paulista fará com que o templo da AD Ipiranga torne-se quase insignificante. Claro que cada um tem o seu valor histórico e arquitetônico, contudo, o edifício erigido pelo Bispo Macedo foi notícia até no New York Times, comparando-o ao Corcovado, tratando a imagem do Cristo Redentor como um penduricalho. Jornais não cessam de informar que o templo é quatro vezes maior que o Santuário da Aparecida, interior de São Paulo, o maior santuário católico brasileiro.

Salomão é conhecido na Bíblia como filho do Rei Davi e seu sucessor na dinastia de Judá, conhecido e respeitado como eleito por Deus para a construção de um magnífico templo por volta do ano 950 a. C. O tempo que Salomão erigiu levou sete anos para ficar pronto, tendo pedras trabalhadas que vinham de longe, madeiras extraídas no Líbano, um mestre de obra de Tiro e cerca de 180 mil trabalhadores. Seu pai Davi, havia deixado muito ouro, prata, bronze, pedras preciosas, entre outros materiais. O edifício era suntuoso, mas o que mais chamava a atenção era a sabedoria de Salomão para responder enigmas, escrever provérbios, poesias e pensamentos acerca da fauna, da flora, do reino mineral, vindo pessoas de longe para conhecer sua sabedoria.

Aqui começa a diferença entre o Salomão da Bíblia e o Edir Macedo. Salomão pediu sabedoria e Deus lhe deu sabedoria, paz contra os seus inimigos e muitas riquezas; Edir, por sua vez, pediu muita riqueza. Como Deus não deu, ele tirou do povo para construir um templo magnífico, assim como Herodes, que falaremos em outra postagem. Salomão recebeu o dom da sabedoria e se tornou sábio, já o nosso "Salomão", como bom brasileiro, recebeu o dom da esperteza e se tornou sabido.

A contaminação do templo.

O próprio Salomão foi o responsável pela contaminação do templo através de alianças políticas e casamentos com mulheres estranhas. Assim, profanou o templo, trazendo para dentro dele os deuses dessas nações pagãs e por isso a glória deixou o templo (Ez. 8 a 10) e por esse motivo foi destruído. Vemos, infelizmente, na história da Universal, a contaminação religiosa de seu líder com o sincretismo evangélico-espírita,  e na política a aliança com um governo que defende casamento de pessoa do mesmo sexo, aborto, distribuição de preservativo e cartilha pornográfica para as escolas, além de não se posicionar sobre o massacre de cristãos na Síria e no Iraque, um governo que se cala acerca dos horrores que se comete na Venezuela e que pretende sobretaxar as igrejas.

O novo cartão postal de São Paulo começa sua história com suspeitas de injustas desapropriações e com possibilidade de embargo por estar com a documentação do alvará de reforma quando o correto seria alvará de construção. O Ministério Público estaria entrando com uma ação contra o novo poder salomônico no Brás, pois nem mesmo o aval do Corpo de Bombeiros teria. Talvez por isso em lugar da glória que encheu o templo do passado, o que se viu ontem no Brás foi um apagão que deixou os convidados no escuro por quatro períodos de tempo.

A visita da rainha de Sabá

A senhora Dilma, a nova rainha de Sabá, que veio angariar votos para sua campanha eleitoral, ao contrário da rainha etíope, que havia declarado ao Salomão bíblico estar "fora de si" e que não haviam contado "nem metade do seu reino", a "nossa" rainha entrou muda e saiu calada, talvez pensando consigo mesma: "Construir isso aqui sem pagar impostos é bom demais!" e deve ter marcado uma reunião com seus ministros para por em prática, o quanto antes, uma "leve" taxação sobre as igrejas evangélicas, mas não agora, podendo esperar para depois das eleições porque que isso tiraria votos de sua candidatura.

Consta na história que Salomão e a rainha da terra de Candace tiveram um afago, gerando filhos ou descendência ao rei famoso, ou seja, teria viajado de volta grávida do sábio. Também nesse caso moderno sabe-se que a vinda da rainha de uma terra não muito distante, a terra do "Vale do Amanhecer", dará muito fruto ao líder religioso nos gabinetes, nos contatos para a reeleição petista e plantar uma dinastia politica no centro do coração do Brasil.

Bem, conforme cremos, Salomão foi convertido em sua velhice. Que seja assim na vida do Salomão brasileiro e que após sua morte seu reino não seja dividido. Será?

Deus abençoe a todos!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário