sábado, 4 de janeiro de 2014

PARA O ANO DE 2014: ORAR AINDA É O MELHOR REMÉDIO


(Breve reflexão sobre a oração do profeta Habacuque)

Habacuque 3.17-19: "Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado; Todavia eu me alegrarei no SENHOR; exultarei no Deus da minha salvação. O SENHOR Deus é a minha força, e fará os meus pés como os das cervas, e me fará andar sobre as minhas alturas”.

Quando lemos o Livro do Profeta Habacuque, temos a nítida impressão de estarmos diante de um escritor inteligente e ao mesmo tempo sensível. Seu diálogo com Deus nos capítulos 1 e 2 nos faz enxergar um patamar de intimidade com o Divino pouco visto nas Escrituras. Sua postura frente aos pecados de Judá e seu questionamento ante o método usado por Deus para trazer justiça ao seu povo, revelam um caráter moldado pela oração, um ministério envolto no canto e na adoração. O último capítulo é um cântico de louvor e exaltação a Deus por compreender Seu processo para trazer a paz.

Quantas vezes não entendemos o modo de Deus agir e, por vezes, não sabemos o porquê de Ele permitir a doença, o desemprego, a angústia, o problema na vida conjugal e até o desespero frente aos problemas que julgamos insolúveis. Todavia, no diálogo com Deus, ou seja, na oração, Habacuque encontra a resposta para suas dúvidas e questionamentos. À espera de Deus na Torre de Vigia, ele pôde ver o fim do ímpio e do justo, e compreender que Deus é Soberano e que está no controle de todas as coisas. Ainda que não entendamos o processo de Deus, devemos nos colocar em oração em nossa torre e esperar a resposta para nossas causas, pois servimos a um Deus fiel e bondoso.

Portanto ainda que não haja explicação médica convincente e solução para o quadro clínico anunciado, ainda que os problemas se avolumem sobre nossas cabeças nos tirando a paz, ainda que não entendamos o problema da escassez ou a ausência do melhor amigo, ainda que o desemprego bata nossa porta, e o medo do futuro queira nos fazer descrer da Promessa, creremos NEle e nos colocaremos humildes em oração até que passem as tempestades e as calamidades, e venham os tempos de bonança e refrigério pela resposta de Deus. Ainda que mudem as leis e os tempos, creremos NEle e O exaltaremos por Sua grandeza e bondade (Sl. 46. 2,3; Jó 13.15; Sl. 23.4).

Ainda que a pobreza e a miséria nunca venham a ser erradicadas; ainda que a violência e o grito de suas vítimas sobreponham-se ao louvor das igrejas; ainda que o ímpio governe, decrete leis injustas e persiga a Igreja; ainda que muitas denominações não honrem o nome do cristianismo histórico e blasfemem das doutrinas ortodoxas; ainda que as heresias proliferem no seio do cristianismo hodierno, creremos NEle e exaltaremos o Deus de nossa salvação.


Fonte: Clique aqui.