terça-feira, 8 de maio de 2012

Estudo sobre o Tabernáculo - Parte 3

A FONTE



A Fonte Símbolo da Palavra do Deus Vivo, a Palavra que nos dá poder, nos renova e nos preenche com a mesma presença do Deus Todo-Poderoso. Há muito o que falar sobre esta Fonte, mas antes deixe-me dizer-lhes que muitos crentes não têm passado da entrada.

Mesmo tendo experimentado a Jesus como Senhor e Salvador, Seu amor e Sua graça, ainda não têm crucificado a carne. Sem crucificar a carne não podemos conhecer o poder da Palavra de Deus. Jesus disse em João 13.10: “…Aquele que está lavado não necessita lavar senão os pés pois, no mais, está todo limpo. E vós estais limpos, mas não todos”.

O que Ele dizia? Que uma vez passado do Altar de Sacrifícios, e estando limpo, o que se tem a fazer é lavar os pés. Por quê? Porque o sacerdote no Antigo Testamento vestia uma roupa bonita, mas não podia usar calçados. Por quê? Para lembrar-lhe que ainda tocava o pó, a Terra. Você e eu somos lavados pelo Sangue do Cordeiro, mas enquanto caminhamos por esta Terra, ainda estamos em contato com o mundo e é por isso que precisamos da Palavra de Deus para limpar-nos e lavar-nos a cada dia.

Os santos da Velha Aliança tinham que lavar as mãos e os pés nesta Fonte. Mãos simbolizam as OBRAS e pés, o CAMINHAR.

Hoje não temos que lavar as mãos porque não vivemos por obras. Mas devemos lavar nossos pés para que o nosso andar se mantenha limpo ao tocarmos a terra todos os dias. Os santos da Velha Aliança lavavam suas mãos porque havia a necessidade de obras. Hoje, porque há a graça, as obras não são necessárias, mas o nosso andar deve permanecer limpo.

Deus disse a Moisés que esta Fonte deveria ser feita dos espelhos das mulheres; uma Fonte feita de bronze que usavam como espelho. Por quê? Porque ao lermos a Palavra de Deus ela nos revela quem somos nós.

Tendo passado pela entrada e encontrado Jesus como Senhor então, você chega ao Altar de Sacrifícios, onde a morte está, onde você experimenta a morte de si mesmo e da carne, e onde o sangue é derramado e você é lavado e purificado. Só então, você pode seguir até a Fonte que está aqui, experimentar o poder da Palavra de Deus e mergulhar nela. Lembre-se do Salmo: “Como o cervo clama pelas águas, assim a minh’alma Te anela”. Esse anelar da presença de Deus, pelas águas do seu poder o que é? É a Palavra do Deus Vivo. Você não pode experimentar o Poder desta Palavra até que você morra primeiro. Mas, uma vez chegado a esta Fonte, que é a Palavra de Deus, literalmente como num espelho, você começa a ver quem você é em Jesus, o que Ele tem feito por você, do que se trata a Palavra. E, uma vez que esta Palavra te preenche e começa a afetar a sua vida, algo acontece no seu interior. Agora a Verdade chega. Preste atenção: A Verdade chega e o resultado desta Verdade na sua vida é que ela o habilita para passar da Fonte para o Lugar Santo.

E, ao vermos esta porta do Lugar Santo, ela não era chamada somente de “A Porta”, mas também de “A Verdade”. Os judeus a conheciam como o lugar que se revelava a Verdade; dentro do Tabernáculo havia revelações da Verdade. O que Jesus disse? “Eu sou o Caminho – a entrada –, eu sou a Verdade – a porta. Mas como chegamos a esta Verdade? Através da Palavra de Deus. Então lembre-se: a entrada (o Caminho) é a salvação que nos traz o poder do sangue, onde experimentamos a total purificação, a morte de si mesmo e da carne, que nos permite ir adiante e provar da Fonte, do poder da Palavra do Deus Vivo.

Ainda que a verdade encha os nossos corações, a Palavra de Deus se torna lâmpada para nossos pés e luz para nossos caminhos. Mais preciosa e mais fina do que o ouro, e mais doce que o mel. A Bíblia diz que a Lei do Senhor é perfeita e converte a alma. Quando a Palavra de Deus entra em nós, algo acontece; a alma se aviva e então a oração se torna em algo vivo. O que aconteceu no Altar de Sacrifícios foi a luta, a repetição e depois, a morte. Uma vez morto e sem culpa, algo ocorre: a oração se transforma numa parte viva em você e agora você ora de acordo com a Palavra de Deus. O que é esta oração?

Primeiro: a oração é confissão – Você confessa quem Deus é. Lembre-se: O Apóstolo Pedro disse: "Senhor, Tua Palavra declara que tu és Deus”. E quando Moisés entrou na mesma presença de Deus em Êxodo 32 disse: “Tu disseste a Abraão”. Quando começamos a orar de verdade, sempre oramos usando a Palavra na presença de Deus. A Palavra do Deus Vivo literalmente nos faz orar. Quando começamos a orar a Palavra, literalmente a Palavra se faz viva neste período de oração. Você diz: “Senhor, Tu disseste”, e a oração não é mais repetição. A oração se transforma em Palavra viva dentro de você, elevando-o até o mais alto e tocando bem o Trono dos Céus. Isto é glorioso! A Palavra de Deus não somente enche o seu interior, mas também transforma-o e converte a alma. A oração além da confissão é súplica;

Segundo: a oração é suplica – fazendo-O saber nossos pedidos;

Terceiro: a oração é adoração – chega uma hora em que você irá amá-lo e adorá-lo;

Quarto: a oração é intimidade;

Quinto: a oração é intercessão pelos outros;

Sexto: mais do que tudo, a oração é gratidão;

Sétimo: a oração é louvor.

A oração não é somente recorrer a Deus, mas tornar-se uma parte viva de suas promessas. Você toma a Palavra de Deus e diz: “Tu disseste, Senhor”. E, quando isto está em você por causa da Palavra e a verdade nasce em você, convertendo a sua alma, o seu mais profundo interior é mudado, trazendo vida ao seu interior.

O Portão que fala de Jesus, conhecendo-O como Senhor e Salvador, também fala de reconciliação, onde você e eu somos reconciliados com o Deus Todo-Poderoso.

O Altar de Sacrifício, como já disse que fala da morte, da crucificação de si mesmo na cruz, fala também de redenção porque aqui vemos o poder dela;

Esta Fonte fala da Palavra de Deus e também de santificação, porque quando a Palavra entra em nossos corações somos santificados.

O LUGAR SANTO



E, ao atravessarmos a porta, chegando ao Lugar Santo,veremos:

  • Candelabro – Fala de iluminação, revelação.
  • Mesa dos Pães sem fermento – Satisfação.
  • Altar de incenso – O lugar onde Deus é exaltado.

E depois de tudo isso está o Lugar Santíssimo, que é a Arca da Aliança, falando da glorificação, onde Deus é exaltado.

As Cinco Colunas

A Bíblia tem muito a dizer sobre os cinco ministérios da Igreja que estes postes da entrada do Lugar Santo simbolizam. Leia comigo agora Efésios 4.11: “Ele mesmo constituiu a uns Apóstolos, a outros Profetas, a outros Evangelistas, a outros Pastores e a outros, Mestres…” Por quê? “… a fim de aperfeiçoar os santos para a obra do ministério; para a edificação do corpo de Cristo, até que todos cheguemos a unidade da fé e ao conhecimento do Filho de Deus, o varão perfeito; à medida da estatura da plenitude de Cristo” (Efésios 4.11-13). Deus disse a Moisés que a porta deveria ser sustentada por cinco postes, cinco ministérios, cinco funções: o apóstolo, o profeta, o evangelista, o pastor e o mestre. Estes cinco ministérios se chamam Verdade, nos leva a ela.

Que é o apóstolo? É como o meu polegar que pode tocar o resto dos meus dedos. O apóstolo acumula as demais funções: de profeta, evangelista, pastor e mestre. Ele alcança todos;

Que é o profeta? É como meu dedo indicador, apontando e dizendo: “Assim diz o Senhor”;

Evangelista é o dedo maior, alcançando todo o mundo;

Pastor é o dedo anular;

Mestre é o dedo mínimo que pode meter-se nas áreas pequenas e pode extrair a verdade.
E os cinco dedos formam uma mão, a mão do Deus Vivo. E quando esses cinco ministérios se unem para ensinar a verdade, vejamos o que acontece: sete resultados. Versículo 14:

Primeiro: “…Para que não sejais mais meninos inconstantes”, ou seja, imaturos.

Segundo: “… levados ao redor” seremos estabelecidos.

Terceiro: “…Por todo vento de doutrina”  pelo engano dos homens. Em outras palavras: arraigados e fundamentados, nunca seremos levados por tudo o que ouvimos. E continua: “…pelo engano dos que com astúcia induzem ao erro”.

Quarto: Estes ministérios nos livram do engano.

Quinto: “…mas seguindo a verdade em amor”. Poderemos falar a verdade em amor devido a estes cinco ministérios.

Sexto: “…cresçamos em tudo naquele que é o Cabeça, Cristo”. Crescimento constante é o sexto resultado desta verdade.

Sétimo: Efésios 4.16: “…Do qual todo corpo bem ajustado e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, recebe o crescimento para edificar a si mesmo em amor.”

E aqui estão os sete resultados destes ministérios em sua vida:

  • Primeiro: Maturidade – verso 14;
  • Segundo: Estabelecidos na fé – verso 14;
  • Terceiro: arraigados e fundamentados na verdade;
  • Quarto: livres do engano; capazes de discernir as palavras – verso 14;
  • Quinto: capacidade de falar a verdade – verso 15;
  • Sexto: Crescimento constante. Você vai crescendo no Senhor devido a estes cinco ministérios.
  • Sétimo: Harmonia e unidade. Deus disse a Moisés: “Quero que ponhas cinco postes sustentando a porta da verdade”, os cinco ministérios da Igreja.

Agora entremos por esta porta.

Uma vez tendo experimentado a Palavra do Deus vivo, que muda a sua vida e o seu coração, você entra no Lugar Santo, no lugar de louvor.

“Deus meu, Tu és o meu Deus; de madrugada Te buscarei. Minh’alma tem sede de Ti, minha carne Te anela numa terra seca e árida onde não há água, para ver o teu poder e tua glória assim como te tenho contemplado no santuário, porque melhor é a Tua misericórdia do que a vida; meus lábios Te bendirão, assim eu Te bendirei. Levantarei minhas mãos em Teu nome enquanto eu viver”.

O lugar de louvor, o Lugar Santo, o lugar onde a alma é saciada, o lugar onde você não tem mais sede. Você desejou esta presença, anelou por esta satisfação e agora, a Palavra de Deus trouxe você para este lugar e você está satisfeito. E o Louvor vem do mais profundo do seu ser.

O Candelabro


A realidade está aqui, a vida está te tocando e, por causa da Palavra, você está sendo iluminado pelo candelabro; a revelação agora é sua. A Palavra produz revelação. O candelabro que brilhava no Lugar Santo fala de revelação. É o resultado da Palavra do Deus Vivo. O azeite que fazia o candelabro brilhar continuamente era a mesma unção do Espírito e da revelação. Oh, como é maravilhoso escutar de Deus quando a Palavra dEle se faz viva em você. Jesus disse: “As palavras que falo são espírito e vida e não são mais algo distante”. Agora, a Palavra começa a te iluminar.

Deus fala com você face a face de coração a coração. E, devido a esta revelação, algo acontece: a revelação sempre produz algo maravilhoso: Satisfação. Isto mesmo, satisfação.

A Mesa dos Pães Asmos

Esta mesa dos pães sem fermento nos fala de satisfação, …minha alma está satisfeita. Já não tenho fome, Senhor”. E Ele agora é o Pão da Vida. Lembre-se: Jesus disse em Mateus que há perseguição por causa da Palavra. A Moisés Ele ordenou que este pão fosse coberto com aroma de incenso. O incenso tem um aroma muito doce, mas um gosto muito amargo. Por quê? Porque Jesus disse o seguinte: “…Se sois vituperados pelo nome de Cristo sois bem aventurados, porque o glorioso Espírito de Deus repousa sobre vós” (I Pedro 4.14). Ah, com prazer sofrerei perseguição! Por quê? Porque quero que o Espírito de Deus repouse sobre mim. A Bíblia diz que ele repousará sobre aqueles que são vituperados e perseguidos. Jesus disse: “O Espírito Santo vai com vocês, estará em vós”. Porém, em Atos 1.8 diz: “Ele virá sobre vocês”. Mas você somente percebe que ele vem quando sofre perseguição. Os apóstolos eram perseguidos e, no Pentecostes, o Espírito veio sobre eles. Eu pagarei com prazer este preço! Assim eu O sentirei sobre mim pelo resto dos meus dias.

A Bíblia declara que a mesa dos pães sem fermento – que fala de satisfação – estava encharcada de incenso puro, um aroma delicioso. Quando outros entram em contato com aqueles que estão satisfeitos, sentem um delicioso aroma: o perfume de Cristo está neles. Mas a perseguição virá por fazer parte desta satisfação. É esta perseguição que leva você a adorar ao Deus Todo-Poderoso.

O Altar do Incenso

É por isso que antes de entrar no Lugar Santíssimo você vem ao Altar do Incenso e O adora. Porém, é revelação. O candelabro – que leva à satisfação, à mesa dos pães que produzem perseguição por causa da satisfação; que o leva a um lugar maravilhoso, ao lugar glorioso, ao lugar de adoração. E, somente então, ao começar a adorá-Lo, é que você pode entrar no Lugar Santíssimo, onde Ele habita. Deus ordenou a Moisés que este Altar de Incenso deveria estar permanentemente aceso para Ele; a adoração deveria elevar-se a Ele: “Adorai ao Senhor na beleza da Sua Santidade. Tremei diante dEle toda a Terra” (Salmo 96.9).

Adoração: o resultado desta satisfação, alimentando-se de Cristo, o verdadeiro pão. Estando satisfeito, uma vez que você tem buscado dEle, você O adorará na beleza de Sua Santidade. Quando isto acontece, então você está pronto para entrar no Lugar Santíssimo.


O SANTÍSSIMO LUGAR

A Arca da Aliança


“O que habita no esconderijo do Altíssimo à sombra do Onipotente descansará. Direi ao Senhor esperança minha e castelo meu, meu Deus em quem confiarei”. Este é o lugar onde a presença de Deus está. O lugar secreto onde você habita na presença do Deus Altíssimo, que nos promete: “…Ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa. Com suas asas te cobrirá e, debaixo delas estarás seguro. Ele é escudo, e espada é a Sua verdade.” E, no verso 10 diz: “… Nenhum mal te sobrevirá nem praga alguma chegará à tua tenda.” E diz: “…Porque aos Seus anjos dará ordem a teu respeito para que te guardem em todos os teus caminhos”.

Este é o lugar onde palavras são inadequadas. Em Isaías 26.9 lemos: “Com minha alma Te desejei de noite, e com meu espírito que está dentro de mim, Te buscarei”.

É aqui, no Lugar Santíssimo, onde nos tornamos um com Ele; tem início a unidade, a comunhão, a intimidade e as palavras se tornam inadequadas no Santo dos Santos.

A Bíblia declara: “…de madrugada Te buscarei…”. Ore para que o Espírito Santo crie tal fome em você para buscar a presença de Deus, desfrutar de Sua glória, para que a tua vida seja revestida pela presença divina. E este é o lugar onde você entende: “Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus”.

Eu oro para que esta experiência seja tua diariamente.

  • No portão de entrada fomos reconciliados;
  • No Altar de Sacrifícios, fomos redimidos;
  • Na Fonte fomos santificados;
  • No candelabro, iluminados;
  • Na Mesa dos Pães Asmos, fomos satisfeitos;
  • No Altar de Incenso O exaltamos;
  • E, no Lugar Santíssimo, O tocamos.

E, quando O tocamos… então, e somente então, O experimentamos.

Salmo 42.7 : “Um abismo chama outro abismo, ao ruído das Tuas cataratas; todas as Tuas ondas e as tuas vagas têm passado sobre mim”. É aqui quando um abismo chama outro abismo. E quando isso acontece? Quando tocamos nEle. A Palavra declara: “Todas as Tuas ondas e as Tuas cataratas têm passado sobre mim”.

Ele começa a revestir-nos e a coroar-nos com as ondas de Sua presença; com Suas ondas de glória; um abismo chamando outro abismo…


Continua na Parte Final

Para ver a PARTE 1 deste estudo CLIQUE AQUI.
Para ver a PARTE 2 deste estudo CLIQUE AQUI.