terça-feira, 15 de julho de 2014

A FESTA ROSH HASHANAH E O ARREBATAMENTO DA IGREJA


ROSH HASHANAH é uma das festas judaicas com vários significados: Dia de temor e julgamento, Dia do soar da trombeta ou shofar e de acôrdo com o calendário judeu, é o dia do ano novo. A trombeta ou o shofar é o símbolo principal de Rosh Hashanah e três sons são expressos durante essa festa:

TERIAH (um som longo): para reunir-se – acôrdo espiritual (Números 10:3)

SHEVARIM (três sons curtos ou cortados) – arrependimento espiritual (Números 10:5)

TERUAH (nove sons curtos): batalha – ministério espiritual (Números 10:9)

Rosh Hashanah centraliza-se no período da lua nova, quando ela ainda é obscura. No tempo quando não existia calendário, duas testemunhas eram necessárias para presenciar o começo da lua nova e anunciar a festa Rosh Hashanah. A Rosh Hashanah tem um significado importante em conexão ao arrebatamento da noiva de Cristo e a tradição do matrimônio judaico de outrora. O arrebatamento, como muitos outros eventos proféticos do Novo Testamento, são encontrados escondidos nas páginas do Velho Testamento, os quais Deus nos tem revelado através do discernimento espiritual.

Rosh Hashanah no seu significado de julgamento, expressa o julgamento de Deus na terra após o arrebatamento da igreja, como nos diz o Apóstolo Paulo na sua primeira carta aos Tessalonicenses 5:3: “Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então, lhes sobrevirá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida; e de modo nenhum escaparão”.

Rosh Hashanah conecta-se ao casamento judaico de outrora, por ser ela celebrada no período da Lua Nova (oculta) em relação ao fechar da porta quando os noivos, depois do seu encontro se escondiam num quarto ou câmara por sete dias com a porta fechada; ela também se relaciona ao encontro da noiva com Cristo através do seu arrebatamento, o qual tem a finalidade de escondê-la por sete anos, durante o período da tribulação. “Vai, pois, povo Meu, entra nos teus quartos e fecha as tuas portas sobre ti; esconde-te só por um momento até que passe a ira” (Isaías 26:20). “Entra nos teus quartos e fecha a porta” é um termo dirigido ao noivo e a noiva – esposa e marido – como Cristo e Sua Igreja, depois do arrebatamento, até que o período da tribulação passe. Rosh Hashanah conecta-se com o arrebatamento da Igreja pelo toque da trombeta (shofar); pelo som teriah, que é o som longo da trombeta chamando a Noiva de Cristo a congregar-se para o arrebatamento, como lemos em I Tessalonicenses 4:16,17: “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com a voz do arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor”. E em I Coríntios 15:52: “Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a última trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis e nós seremos transformados”.

Vemos na Parábola das Dez Virgens que a porta foi fechada depois que as cinco, com as suas lâmpadas cheias de óleo, entraram. Elas foram escondidas e protegidas da ira de Deus. Porém, em Apocalipse 4:1, vemos uma porta aberta: “Depois destas coisas, olhei, e eis que estava uma porta aberta no céu; e a primeira voz, que como de trombeta ouvira falar comigo, disse: Sobe aqui, e mostrar-te-ei as coisas que depois destas devem acontecer”. Este verso é uma confirmação maravilhosa do arrebatamento visto e experimentado por João. Primeiramente, ele vê uma porta aberta no céu, e ouve a voz como de trombeta convidando-o a subir. Isto é profético, pois tem ligação com o dia em que o céu se abrirá e o Senhor Jesus Cristo descerá chamando, pelo som da trombeta, a Sua Noiva para subir, como já vimos em I Tessalonicenses 4:16: “Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus”. Ou seja, assim como o Apóstolo João subiu e entrou no Céu (Ap 4:1), também a Igreja, a Noiva do Senhor Jesus, subirá e entrará no Céu. Aleluia! 

A festa de ROSH HASHANAH é conectada com o cumprimento das profecias dos últimos tempos nos seus temas:

(1) Ressurreição dos justos – "Os teus mortos viverão, os teus mortos ressuscitarão; despertai e exultai, vós que habitais no pó, porque o teu orvalho, ó Deus, será como o orvalho das ervas, e a terra lançará de si os mortos(Isaías 26:19).

(2) O Reino do Senhor – É o Reino Messiânico no Milênio, como descreve o profeta Daniel: "E o Reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados aos santos, povo do Altíssimo; o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão e Lhe obedecerão(Daniel 7:27). O Reino de Deus será estabelecido depois dos sete anos da tribulação. Ele virá montado num cavalo branco com os exércitos do céu vestidos em linho fino branco e puro (Apocalipse 19:11,14,15). 

(3) Casamento do Rei – As Bodas do Cordeiro (Apocalipse 19:7,8): "Regozijemo-nos, e alegremo-nos, e demos-lhe glória, porque vindas são as Bodas do Cordeiro, e já a Sua esposa se aprontou. E foi lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos". 

Estes temas adotados para a festa de Rosh Hashanah são puramente judeus, mas com significados que conectam-se não somente com a nação de Israel, como, também, com o futuro da Igreja. 

Ilustração: Deus fala com Moisés no monte Sinai.
Em Êxodo 19 vemos no ministério de Moisés preparando o povo de Israel para encontrar-se com Deus, o retrato do ministério do Espírito Santo preparando a Noiva para o encontro com Cristo. Também, no tocar da trombeta, quando Deus chamou Moisés para subir o cume da montanha, temos o retrato do arrebatamento da Noiva: "Disse também o SENHOR a Moisés: vai ao povo e santifica-os hoje e amanhã, e lavem eles as suas vestes e estejam prontos para o terceiro dia; porquanto, no terceiro dia, o SENHOR descerá diante dos olhos de todo o povo sobre o monte Sinai. (...) E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus (...). E o sonido da trombeta crescia grandemente; Moisés falava, e Deus lhe respondia em voz alta. E descendo o SENHOR sobre o monte Sinai, sobre o cume do monte, chamou o SENHOR a Moisés ao cume do monte; e Moisés subiu" (Êx 19:10,11,17,19,20). 

Vendo a conexão entre a festa de Rosh Hashanah e os eventos proféticos, incluindo o arrebatamento da Noiva de Cristo, podemos até ficar na expectativa de ouvir o som da trombeta de Deus nesse tempo. Porém, o Senhor Jesus disse que ninguém sabe o dia nem a hora da Sua vinda. Assim sendo, vamos continuar fielmente esperando e clamando “Ora vem Senhor Jesus”, até ouvirmos o som da trombeta nos chamando para subir ao Seu encontro. 


Fonte do texto original: Clique aqui.

Observação: o texto foi corrigido e adaptado pelo Pastor Hafner. As imagens foram copiadas do Google Imagens e acrescentadas para simples ilustração.


Nenhum comentário:

Postar um comentário