quarta-feira, 5 de junho de 2013

A IGREJA E O MEIO AMBIENTE


Há dez anos, no dia 02 de janeiro de 2003, fundei a Organização Não Governamental "S.O.S. Mangues e Vidas Aquáticas", da qual sou presidente. Conforme consta no artigo 1° do nosso Estatuto, "a S.O.S. Mangues e Vidas Aquáticas é uma sociedade civil, sem fins lucrativos, que tem como objetivos prioritários a defesa e preservação dos manguezais, pântanos, rios, riachos, córregos, bacias hidrográficas, nascentes, lagos, lagoas, cachoeiras, lençóis freáticos, baías, enseadas, praias, ilhas, ilhotas, atóis, restingas, botos, peixes, mariscos, crustáceos e todas as espécies de vidas aquáticas e subaquáticas de águas doces, salgadas, salobras, rasas e profundas do Sul e Extremo Sul da Bahia".

A nossa área de atuação compreende um território maior do que a própria Suíça, país onde moro atualmente, conforme pode ser conferido nos mapas e tabelas abaixo:


SUL DA BAHIA



 //////
Município
Área (Km²)
01
Almadina
246,894
02
Arataca
396,086
03
Aurelino Leal
446,446
04
Barro Preto
120,57
05
Buerarema
209,559
06
Camacã
632,926
07
Canavieiras
1.375,556
08
Coaraci
296,82
09
Floresta Azul
351,596
10
Ibicaraí
217,914
11
Ibirapitanga
470,264
12
Ilhéus
1.840,991
13
Itabuna
443,198
14
Itacaré
730,28
15
Itajú do Colônia
1.217,535
16
Itajuípe
295,912
17
Itapé
443,27
18
Itapitanga
410,422
19
Jussari
356,735
20
Maraú
774,447
21
Mascote
709,253
22
Pau Brasil
609,505
23
Santa Luzia
785,193
24
São José da Vitória
53,395
25
Ubaitaba
221,753
26
Una
1.159,525
27
Uruçuca
337,705
Total da área (Km²)
15.153,75




EXTREMO SUL DA BAHIA



////// 
Município
Área (Km²)
01
Alcobaça
1.505,992
02
Belmonte
2.009,896
03
Caravelas
2.361,278
04
Eunápolis
1.196,695
05
Guaratinga
2.324,317
06
Ibirapoã
786,058
07
Itabela
853,267
08
Itagimirim
817,306
09
Itamaraju
2.369,912
10
Itanhém
1.445,063
11
Itapebi
972,036
12
Jucuruçu
1.438,463
13
Lajedão
613,907
14
Medeiros Neto
1.245,749
15
Mucuri
1.774,763
16
Nova Viçosa
1.326,122
17
Porto Seguro
2.408,594
18
Prado
1.664,536
19
Santa Cruz Cabrália
1.550,791
20
Teixeira de Freitas
1.153,791
21
Vereda
828,7
Total da área (Km²)
30.647,236







Total da área de atuação da "S.O.S. Mangues e Vidas Aquáticas"45.800, 986 km²



Encontrei no Blog Crítica Sagrada, do Pastor Leonardo J.L. Félix, um texto muito bom e pertinente quanto a responsabilidade dos cristãos nas questões ambientais. Leia abaixo e comprove.

É notória a falta de consciência ecológica em muita gente. É insuportável ver o ato daquele tipo de sujeito que lança a embalagem de refrigerante pela janela do carro. Para ele o mundo é uma grande lixeira. Será que o mesmo faria isso em sua casa? Acredito que não. Entretanto, como diz o adágio: “costume de casa vai à praça”.

Nesses últimos dias a preocupação como o meio ambiente tem sido a tônica. Empresas têm abraçado a responsabilidade social – que inclui responsabilidade ambiental. É indiscutível o crescente número de cidadãos que não consomem produtos de empresas que degradam o meio ambiente. Essa reação precisa ser incentivada pelos cristãos. Uma vez que a Palavra de Deus revela que somos mordomos da criação. Deus nos deu a responsabilidade de “dominar” sobre ela (Gênesis, 1:26). Devemos manifestar nossa rejetição à degradação ambiental.

Infelizmente não temos dado a devida atenção a responsabilidade ambiental. Para alguns, não faz sentido preservar um mundo que em breve acabará no fogo. Logo, os cristãos precisam se preocupar com “coisas mais importantes” do que o meio ambiente. A consequência disso é uma igreja irresponsável quanto à criação, sem interesse no aqui agora.

Falta no entendimento desses a compreensão do Reino de Deus como o elo entre o céu e a terra (Mateus, 6:10). A igreja é a comunidade que vivencia os valores do Reino no presente. Os participantes dele foram restaurados no segundo Adão, Jesus Cristo. Assim, como o primeiro que recebeu a responsabilidade de cuidar da criação e falhou, o segundo foi o exemplo santo do primeiro.

O cuidado com a natureza é um reflexo do novo homem criando em Jesus. É preciso que nos interessemos pelo meio ambiente como demonstração da fé que temos nos segundo Adão. Os valores de Cristo se harmonizam com a criação. Os cristãos são por natureza cuidadores da natureza. Haverá o dia em que veremos o “novo céu e a nova terra”. Uma natureza totalmente restaurada por Deus. Enquanto isso não acontece, devemos, aqui e agora, sinalizar a nova terra através do cuidado com a velha terra.

Todas as coisas foram restauradas a comunhão de Deus pelo sangue de Cristo. Através do sacrifício vicário dele o homem e toda a natureza foi espiritualmente reconciliada com o Criador (Colossenses, 1:20). Isso implica que o mundo aguarda o dia da reconciliação de fato. Por enquanto, a natureza e os homens gemem almejando o dia quando Deus realizará de uma vez por todas a restauração de sua criação (Romanos, 8:20-22). É nessa esperança que a igreja precisa lutar pelo uso sustentável da criação. Zelamos pelas conservação das praias porque temos a nova natureza que não se conforma com a degradação do planeta.

O cuidado sustentável da natureza deve ser a operacionalização da salvação que gozamos em Cristo. A salvação é a libertação do pecado. Pecado é transgressão à vontade de Deus. Logo, restaurar a natureza à vontade de Deus é o mesmo que salvar a natureza da corrupção do pecado. Aqueles que continuam na escravidão do pecado deturpam a realidade. Para eles a harmonia com a criação está de acordo com os seus interesses gananciosos. Atrelado a um sistema que torna a natureza insustentável, evidenciam sua natureza perversa através da destruição dos ecossistemas.

Uma vez que Deus opere a salvação nos homens estes precisam se aperfeiçoar no conhecimento de Cristo. Através da revelação Bíblica o Senhor Jesus nos ensina o que vêm a ser o novo homem. Um ser que vive os valores dos céus. Esses valores não se conformam com a degradação ambiental, pois tem a sua natureza restaurada em Cristo.

Precisamos discutir nosso papel em meio à crise ambiental que vivemos. Somos a nova criação de Deus. A restauração que foi operada em nossos corações precisa ser refletida em nossa consciência ambiental. (Até aqui, Blog Crítica Sagrada).

Aqui na Suíça, buscamos parceria com outras ONGs, a exemplo da Pro Natura, fundada em 1909, sendo a mais antiga organização suíça de proteção ambiental, além de empresas com visão social e ecologicamente correta. Breve estaremos no Brasil, apresentando os nossos parceiros europeus e dando início a um grande projeto socioambiental na cidade de Ilhéus, Bahia.

P.S.: Lembrando que hoje, 05 de junho, é o Dia Mundial do Meio Ambiente.