sexta-feira, 17 de julho de 2015

BIOGRAFIAS (PARTE 4): JOANYR DE OLIVEIRA

JOANYR DE OLIVEIRA nasceu em Aimorés (MG) no dia 06 de dezembro de 1933 e faleceu em Brasília (DF) no dia 05 de dezembro de 2009.

Bacharel em direito e jornalista desde os 16 anos de idade, além de ser pastor evangélico.

Residiu em Vitória, Rio de Janeiro, São Paulo, Goiânia (e algumas cidades do interior de Goiás  Iporá, Goiânia e Luziânia) e nos Estados Unidos da América (Massachusetts, Connecticut e Califórnia).

A partir de 1960 passou a morar em Brasília, onde foi redator e revisor da Rádio Educadora, analista legislativo da Câmara dos Deputados, depois de haver ingressado, em 1959, no Rio de Janeiro, também por concurso público, no quadro de revisores do Departamento de Imprensa Nacional, função que exerceu até aposentar-se.

Foi membro de academias e outras entidades culturais, a exemplo do Instituto Histórico e Geográfico do Distrito Federal, da Academia de Letras de Brasília, da Academia Taguatinguense de Letras e da Associação Nacional de Escritores, entidade que presidiu de 2007 a 2009.

Organizou, entre outras, as coletâneas Poetas de Brasília (1962), primeira obra literária editada no Distrito Federal; Antologia dos poetas de Brasília (1971); Antologia da nova poesia evangélica (Rio, 1978); Brasília na poesia brasileira (Rio, 1982); Poesia de Brasília (Rio, 1998); Poemas para Brasília (Brasília, 2004) e Horas vagas (contos, Brasília, 1981), além de participar de várias antologias de poemas, contos, crônicas e outras publicações, no Brasil e no exterior: Argentina, Canadá, Espanha, EUA, França, Índia, Itália e Portugal.

Detentor de mais de trinta prêmios literários.

Obras Publicadas

  •    Minha lira (Rio, 1957);
  •    Cantares (Rio, 1977);
  •    O grito submerso (Rio, 1980);
  •    Casulos do silêncio (Rio, 1982);
  •    Soberanas mitologias e A cidade do medo (Anaheim, CA, EUA, 1991);
  •    Luta a(r)mada (id., id., 1992);
  •    Flagrantes líricos (Buffton, OH, EUA, 1993);
  •    Pluricanto — trinta anos de poesia (Brasília, 1996);
  •    Canção ao Filho do homem (Rio, 1998 e 2000);
  •    Vozes de bichos (infanto-juvenil, Rio, 2000 e 2002);
  •    Tempo de ceifar (Brasília, 2002);
  •    A hora de Deus (Jaboatão-PE, 2002);
  •    50 poemas escolhidos pelo autor (Rio, 2003);
  •    Por que chora a chuva? (infanto-juvenil, Rio, 2005);
  •    Biografia da cidade (Brasília, 2005);
  •    Raízes do ser — poemas para Aimorés (Brasília, 2006);
  •    Antologia pessoal (Brasília, 2007);
  •    Memorial do sobrevivente (autobiografia e poemas, Rio, 2008);
  •    Mensagem no outono (Rio, 2009);
  •    O horizonte e as setas (contos, 1967);
  •    Caminhos do amor (contos, Rio, 1985);
  •    Entre os vivos e os mortos (romance, Rio, 1985);
  •    Arquitetura dos dias, (contos, 2004).

Fonte: Wikipédia (Clique aqui para ler texto original na fonte).