terça-feira, 25 de junho de 2013

COMO ABOTOAR CORRETAMENTE PALETÓS DE 1, 2 e 3 BOTÕES


O terno de 1 botão não é comum para o executivo brasileiro. Porém, se você possui um, deve usá-lo  sempre abotoado. Pode estar abotoado ou desabotodado quando se estiver sentado. 


No paletó de 2 botões, o de cima deve ser abotoado. O DE BAIXO, NUNCA. Veja o exemplo do terno de 2 botões  abaixo.


No paletó de 3 botões, o do meio, deve estar sempre abotoado. Já O DE BAIXO, NUNCA.


Quando você estiver usando um terno completo, ou seja, que tenha colete, o último botão do colete NUNCA DEVE SER ABOTOADO.







A – Se você é baixo, pode aumentar a sua silhueta escolhendo um terno de 1 botâo, o que é meio difícil no mercado brasileiro, portanto, adote o de 2 botões, que abotoado corretamente, vai alongar o seu torso.











B – Os magros podem apostar no abotoamento duplo, o nosso jaquetão. O estilo está voltando à moda, mas eu não recomendo para os marinheiros de primeira viagem, por ser difícil de manter abotoado com elegância.











C – Para quem está acima do peso, o terno de 2 botões, como o de 1 botão, ajuda a alongar e disfarçar o excesso, pelo V profundo que a lapela proporciona. Mas, o melhor mesmo, para quem está acima do peso, é a dieta e não o terno ou abotoamentos.












D – Para os altos e fortes, o terno de 3 botões ajuda a disfarçar a silhueta porque a divide em dois, chamando atenção para o único botão, devidamente abotoado, o do meio.










Fonte: Clique aqui.

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Protestos no Brasil: Líderes cristãos citam revoluções históricas e pedem reformas sociais profundas no país

Algumas lideranças evangélicas tem se manifestado a favor dos movimentos sociais que iniciaram protestos contra a corrupção e outras mazelas nos últimos dias, porém a adesão das igrejas ainda não é maciça.
Observando esse posicionamento, o reverendo Carlos C. Fernandes publicou em seu blog Cristianismo Subversivo um artigo em que critica a inércia, afirmando ser essa postura contraditória com a história do protestantismo.
“Que vergonha! Fomos adestrados pelo sistema. Vendidos ao capital. Transformados em lubrificante das engrenagens políticas. Somos qualquer coisa, menos protestantes. Nem sei se somos realmente cristãos. Em vez de subversivos, tornamo-nos subservientes. Afinal, dizem os porta-vozes da ‘ordem’, temos que nos submeter às autoridades”, lamentou.
Fernandes reclama das lideranças evangélicas que não incentivam as manifestações ou que se posicionam contra: “Se dependesse desses ‘protestantes’, os discípulos de Jesus jamais seriam conhecidos como ‘aqueles que subvertem o mundo’; Jesus nunca teria ‘vandalizado’ o templo em Jerusalém, derrubando mesas, soltando os bichos engaiolados, e tudo isso, munido de chicote; Lutero jamais teria ‘vandalizado’ o castelo de Wittemberg com suas 95 teses, insurgindo-se contra a autoridade papal; William Wilberforce nunca teria desafiado o regime escravagista inglês, provocando um efeito dominó que culminaria na libertação dos escravos nos Estados Unidos, no Brasil e no resto do mundo; Dietrich Bonhoeffer não teria desafiado o nazismo (ou Hitler não era uma autoridade?)”, diz, citando eventos históricos promovidos por protestantes.
“A ausência da igreja cristã nos protestos, o silêncio de sua liderança, ou mesmo, as duras críticas que alguns têm feito ao movimento, causam-me profunda tristeza”, resumiu o reverendo.
Outro que comentou as ações populares foi o pastor Ariovaldo Ramos, que contextualizou o clamor erguido pelos manifestantes: “O povo brasileiro está nas ruas. O povo não quer ficar à deriva do poder, quer direcionar o poder. O governo, como o fez a Presidenta, tem de admitir: o bem comum está sendo mal administrado. O Estado tem de se abrir para o controle social. Como? Isso tem de ser buscado. Uma forma deve haver. O povo está certo: quem tem de estabelecer as prioridades é a população. E mais, quem tem de ter controle sobre os gastos é a população, tudo tem de passar por controle social”, afirmou.
Para Ramos, Dilma Rousseff tem nas mãos a tarefa de conduzir o país rumo às mudanças necessárias para que a sociedade seja menos desigual: “Se a Presidenta souber ler este mover popular, saberá que, agora, é a hora de fazer todas as reformas que todos sabemos que precisam ser feitas: política, tributária, jurídica, partidária, eleitoral. O movimento não é contra alguém, o movimento é a favor do Brasil. Não pode mais haver espaço para a corrupção, para a exploração, para que o bem seja de poucos, em detrimento da maioria”, conceituou.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+
Fonte: Clique aqui.

domingo, 9 de junho de 2013

FIM DA BANDA CALYPSO - Joelma anuncia carreira gospel

Com o suposto fim da banda Calypso, a cantora Joelma avisou aos fãs que pretende seguir agora a carreira gospel. A declaração foi dada durante um show no final da noite deste sábado, 8, no São João da Capitá, festa junina de Recife.  Os fãs que estavam presentes na apresentação ficaram consternados com a mudança de estilo.
A filha da artista, Natália Sarraff, usou seu perfil no Facebook para apoiar a decisão da mãe: "tudo que é bom dura pouco? Pelo contrário, tudo que é bom dura para sempre, pois tudo de Deus dura para sempre. Feliz por sua decisão, minha mãe. Eu te apoio, pois te conheço e sei o que se passa em seu coração, e sei que agora você está feliz de verdade".
Natália também comentou a comoção dos fãs de Joelma: "só acho assim: ninguém morreu, pelo contrário, acaba de nascer uma nova vida, a vida que Deus escreveu muito antes do nascimento. Então vamos parar de falar bobagens e agradecer a Deus! Pois tudo nessa vida só acontece se Ele permitir, e tudo é para Sua glória. Só sei dizer que estou feliz, feliz por saber que a pessoa que mais amo está feliz".
Em entrevista ao G1 de Pernambuco, o empresário da banda Fábio Macedo afirmou que, por conta dos compromissos já assumidos, Joelma, que é evangélica, só vai se dedicar ao novo ritmo em 2015. A assessoria da banda, no entanto, ainda não se pronunciou sobre o fim da banda Calypso.
"A Joelma, em seus momentos de reflexão e oração, pede muito conselho a Deus sobre a carreira. Então hoje, diante do governador do estado, Eduardo Campos, e do prefeito [do Recife] Geraldo Julio, ela disse que teria muita vontade de entregar a sua carreira à obra de Deus e só cantar música gospel", disse o empresário.
Polêmica - O suposto fim da banda está atrelado também à polêmica que Joelma se envolveu ao fazer declarações contra os homossexuais. Em março deste ano, em entrevista ao colunista Bruno Astuto, da revista Época, a cantora afirmou que ser gay é "como um drogado tentando se recuperar".
"Tenho muitos fãs gays, mas a Bíblia diz que o casamento gay não é correto e sou contra... Já vi muitos se regenerarem. Conheço muitas mães que sofrem por terem filhos gays. É como um drogado tentando se recuperar", afirmou ela.

Fonte: Portal A TARDE 

quinta-feira, 6 de junho de 2013

A IGREJA E O MEIO AMBIENTE - PARTE 2

"O cristão deve estar mais preocupado 

(com o meio ambiente) que o Greenpeace"


Assuntos sobre meio ambiente e ecologia já fazem parte da igreja evangélica na pós-modernidade, saindo cada vez mais da mordomia e se tornando práxis.

Os conceitos de mordomia cristã sempre estiveram presente nas escrituras, desde Gêneses, quando Deus manda o homem cuidar do jardim do éden. Mas os evangélicos sempre mantiveram o foco na salvação da alma, e esqueceram que a natureza também precisava de salvação.

A primeira reunião no mundo convocada pela ONU, foi a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente, realizada em Estocolmo, na Suécia, em junho de 1972.

Na mesma época, dois anos depois, aconteceu o primeiro encontro do que veio a ser o Movimento Lausanne, em 1974, na Suíça. Foi um grande encontro de evangélicos do mundo inteiro, com o objetivo de evangelizar o mundo.

A 1° Conferencia das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e o 1° Encontro do Movimento Lausanne, parece não ter nada em comum, além do fato de acontecer na mesma época. O primeiro tem o objetivo de salvação do planeta e o segundo a salvação de seus habitantes.

Mas acontece que o primeiro encontro de Lausanne, gerou o que nós conhecemos como o Pacto de Lausanne, e com o Pacto de Lausanne surge a nova ótica de missões, a Missão Integral. A Missão Integral não é mais só a salvação da alma, ela propõe que a justiça e a justificação pela fé, o louvor e as ações políticas, a transformação no âmbito espiritual, material e pessoal, e as mudanças estruturais devem caminhar juntas.

Ed Rene Kivitz, um dos pregadores da missão integral no Brasil, disse que “O caos do universo é fruto da rebeldia da raça humana em relação ao Deus criador; a redenção do universo: fazer convergir todas as coisas em Cristo”.

Para John Medcraft, pastor e presidente da Igreja Ação Evangélica, não existe dúvida “Cuidar da natureza faz parte da missão integral do Cristão”. John Medcraft chega a dizer que “o Cristão deve estar mais preocupado com o meio ambiente do que o Greenpeace”.

A missão integral que começava a aparecer no primeiro encontro de Lausanne, fica evidente no último Lausanne (Cidade do cabo, 2010) e a relação de meio ambiente e Igreja chegou a ser um assunto tema no Congresso.

Ken Gnankan, um dos participantes do último Lausanne, disse no encontro que “Os Cristãos tem sido atacados por uma interpretação errônea da doutrina bíblica da criação”. Segundo ele, “Temos o mandato de Deus para nós sermos guardiões, mordomos da criação de Deus”.

No Brasil, os evangélicos quase elegeram uma presidenta evangélica: Marina Silva, que foi ministra do meio ambiente por mais de 5 anos.

O deputado estadual José Bittencoutr, presidente do Instituto Teológico Betel do ABCD, criou um projeto de lei (PL1093) chamado “Selo Igreja Verde” que seria entregue às Igrejas comprometidas com a causa do meio ambiente.

Para ele “as Igrejas verdes abriram espaço para a conscientização ecológica”.

Mas não para por aí a luta de evangélicos pelo envolvimento da Igreja evangélica com a causa do meio ambiente. Referências como Ariovaldo Ramos, percussor da Missão Integral e presidente da visão mundial no Brasil, sempre usa o seu twitter para incentivar a luta pelo o meio ambiente: “Derrubada volta a crescer na Amazônia”.

Hoje temos até evangélicos considerados “ecocapelões”, como é o caso Valter Ravara, o criador do Instituto Gêneses 1.28, que trabalha com consciência ambiental nas Igrejas além de ser também um dos responsáveis pelo lançamento de uma versão da Bíblia chamada Bíblia Verde.


Fonte: Clique aqui.



Para ler a primeira parte de A IGREJA E O MEIO AMBIENTE CLIQUE AQUI.

PARADA DA VERGONHA


Que benefícios as megapasseatas trazem para o Brasil?

A onda de violência em São Paulo, Rio de Janeiro e importantes cidades brasileiras assusta. Dentistas são incendiados vivos. Mulheres e crianças são assassinadas por quem deveria protegê-las. Arrastões acontecem em restaurantes. Estupros ocorrem em transportes públicos. Balas perdidas encontram inocentes. Viciados em crack se drogam em praça pública. Sequestros relâmpago, latrocínios, assaltos... E muito mais!

Enquanto isso, a grande mídia só fala da maior Parada do Orgulho Gay do mundo, em São Paulo. Orgulho de quê? Orgulho de quem? Com todo o respeito aos milhões de participantes dessa megamarcha, ela muda em quê a vida dos cidadãos brasileiros? Em nada! Ela só serve para fins comerciais e não beneficiam a população como um todo. Gostaria muito que a multidão que participa de marchas capitalistas — e também do Carnaval e de outras megapasseatas, inclusive algumas ditas evangélicas — se reunisse para a Marcha da Vergonha! Isso mesmo. Vergonha de ser brasileiro.

Não tenho vergonha das coisas boas do Brasil, especialmente das maravilhas que Deus criou e das pessoas honestas e trabalhadores que vivem aqui. Tenho vergonha de pertencer a um país de políticos corruptos e egoístas, de uma nação que não valoriza a vida humana, que não se indigna e pouco se sensibiliza com a morte e o sofrimento de seus filhos. Gostaria muito que todos os cristãos brasileiros, em vez de reunirem para megashows para gritar e pular, se unissem para chorar copiosamente pelo que está acontecendo nessa nação em que o número de evangélicos aumenta, mas sem gerar transformação da sociedade.

Sim, tenho vergonha de ser brasileiro. Tenho vergonha de estar debaixo da autoridade de políticos egoístas, corruptos, que assistem a tudo de modo impassível. Até quando vamos festejar, enquanto pessoas são assassinadas, e a impunidade impera? Até quando vamos nos orgulhar, enquanto famílias choram por ter perdido seus entes queridos? Onde está a nossa indignação coletiva?

Onde estão os jovens de caras pintadas que forçaram a saída do presidente Fernando Collor? Onde estão os pretensos ativistas de direitos humanos? Eles só lutam por causas ligadas à libertinagem e seus próprios “direitos”? Não lutam eles pela segurança, pela justiça e o bem-estar de todos os cidadãos do Brasil?! Os estão os cristãos protestantes? Sorrir e “profetizar vitória” em shows é muito fácil. Gostaria de ver uma multidão de cristãos chorando e clamando a Deus em praça pública, pedindo perdão pelos pecados dessa nação.


quarta-feira, 5 de junho de 2013

ISABELLY ANDRADE LIDERA RANKING BRASILEIRO

Isabelly, da equipe Ciso/Buriti, lidera ranking do Brasileiro na categoria infantil.

A nadadora Isabelly Andrade, da equipe Ciso/Buriti, conquistou a medalha de ouro no Campeonato Brasileiro de Maratonas Aquáticas, no domingo (2), em Vitória (ES). Realizada na Curva da Jurema, a prova foi válida pela 4ª etapa do campeonato.

A vitória içou Isabelly à condição de líder isolada do Campeonato Brasileiro de Maratonas Aquáticas na categoria infantil. O próximo desafio da atleta será a prova de 5 quilômetros em Juazeiro (BA).

A atleta do Ciso é patrocinada pelas Lojas Buriti. Silas Ribeiro, do marketing da rede de lojas de material de construção, diz que a atleta “tem sido uma referência, em nível nacional, nas maratonas aquáticas”. O diretor Mauro Ribeiro define a atleta como “fantástica”.

Fonte: Blog Pimenta na Muqueca.

Nota: Isabelly Andrade é filha do meu colega, amigo e irmão em Cristo, George Andrade. Que Deus continue te abençoando, Isabelly. Abraços do tio Hafner.

A IGREJA E O MEIO AMBIENTE


Há dez anos, no dia 02 de janeiro de 2003, fundei a Organização Não Governamental "S.O.S. Mangues e Vidas Aquáticas", da qual sou presidente. Conforme consta no artigo 1° do nosso Estatuto, "a S.O.S. Mangues e Vidas Aquáticas é uma sociedade civil, sem fins lucrativos, que tem como objetivos prioritários a defesa e preservação dos manguezais, pântanos, rios, riachos, córregos, bacias hidrográficas, nascentes, lagos, lagoas, cachoeiras, lençóis freáticos, baías, enseadas, praias, ilhas, ilhotas, atóis, restingas, botos, peixes, mariscos, crustáceos e todas as espécies de vidas aquáticas e subaquáticas de águas doces, salgadas, salobras, rasas e profundas do Sul e Extremo Sul da Bahia".

A nossa área de atuação compreende um território maior do que a própria Suíça, país onde moro atualmente, conforme pode ser conferido nos mapas e tabelas abaixo:


SUL DA BAHIA



 //////
Município
Área (Km²)
01
Almadina
246,894
02
Arataca
396,086
03
Aurelino Leal
446,446
04
Barro Preto
120,57
05
Buerarema
209,559
06
Camacã
632,926
07
Canavieiras
1.375,556
08
Coaraci
296,82
09
Floresta Azul
351,596
10
Ibicaraí
217,914
11
Ibirapitanga
470,264
12
Ilhéus
1.840,991
13
Itabuna
443,198
14
Itacaré
730,28
15
Itajú do Colônia
1.217,535
16
Itajuípe
295,912
17
Itapé
443,27
18
Itapitanga
410,422
19
Jussari
356,735
20
Maraú
774,447
21
Mascote
709,253
22
Pau Brasil
609,505
23
Santa Luzia
785,193
24
São José da Vitória
53,395
25
Ubaitaba
221,753
26
Una
1.159,525
27
Uruçuca
337,705
Total da área (Km²)
15.153,75




EXTREMO SUL DA BAHIA



////// 
Município
Área (Km²)
01
Alcobaça
1.505,992
02
Belmonte
2.009,896
03
Caravelas
2.361,278
04
Eunápolis
1.196,695
05
Guaratinga
2.324,317
06
Ibirapoã
786,058
07
Itabela
853,267
08
Itagimirim
817,306
09
Itamaraju
2.369,912
10
Itanhém
1.445,063
11
Itapebi
972,036
12
Jucuruçu
1.438,463
13
Lajedão
613,907
14
Medeiros Neto
1.245,749
15
Mucuri
1.774,763
16
Nova Viçosa
1.326,122
17
Porto Seguro
2.408,594
18
Prado
1.664,536
19
Santa Cruz Cabrália
1.550,791
20
Teixeira de Freitas
1.153,791
21
Vereda
828,7
Total da área (Km²)
30.647,236







Total da área de atuação da "S.O.S. Mangues e Vidas Aquáticas"45.800, 986 km²



Encontrei no Blog Crítica Sagrada, do Pastor Leonardo J.L. Félix, um texto muito bom e pertinente quanto a responsabilidade dos cristãos nas questões ambientais. Leia abaixo e comprove.

É notória a falta de consciência ecológica em muita gente. É insuportável ver o ato daquele tipo de sujeito que lança a embalagem de refrigerante pela janela do carro. Para ele o mundo é uma grande lixeira. Será que o mesmo faria isso em sua casa? Acredito que não. Entretanto, como diz o adágio: “costume de casa vai à praça”.

Nesses últimos dias a preocupação como o meio ambiente tem sido a tônica. Empresas têm abraçado a responsabilidade social – que inclui responsabilidade ambiental. É indiscutível o crescente número de cidadãos que não consomem produtos de empresas que degradam o meio ambiente. Essa reação precisa ser incentivada pelos cristãos. Uma vez que a Palavra de Deus revela que somos mordomos da criação. Deus nos deu a responsabilidade de “dominar” sobre ela (Gênesis, 1:26). Devemos manifestar nossa rejetição à degradação ambiental.

Infelizmente não temos dado a devida atenção a responsabilidade ambiental. Para alguns, não faz sentido preservar um mundo que em breve acabará no fogo. Logo, os cristãos precisam se preocupar com “coisas mais importantes” do que o meio ambiente. A consequência disso é uma igreja irresponsável quanto à criação, sem interesse no aqui agora.

Falta no entendimento desses a compreensão do Reino de Deus como o elo entre o céu e a terra (Mateus, 6:10). A igreja é a comunidade que vivencia os valores do Reino no presente. Os participantes dele foram restaurados no segundo Adão, Jesus Cristo. Assim, como o primeiro que recebeu a responsabilidade de cuidar da criação e falhou, o segundo foi o exemplo santo do primeiro.

O cuidado com a natureza é um reflexo do novo homem criando em Jesus. É preciso que nos interessemos pelo meio ambiente como demonstração da fé que temos nos segundo Adão. Os valores de Cristo se harmonizam com a criação. Os cristãos são por natureza cuidadores da natureza. Haverá o dia em que veremos o “novo céu e a nova terra”. Uma natureza totalmente restaurada por Deus. Enquanto isso não acontece, devemos, aqui e agora, sinalizar a nova terra através do cuidado com a velha terra.

Todas as coisas foram restauradas a comunhão de Deus pelo sangue de Cristo. Através do sacrifício vicário dele o homem e toda a natureza foi espiritualmente reconciliada com o Criador (Colossenses, 1:20). Isso implica que o mundo aguarda o dia da reconciliação de fato. Por enquanto, a natureza e os homens gemem almejando o dia quando Deus realizará de uma vez por todas a restauração de sua criação (Romanos, 8:20-22). É nessa esperança que a igreja precisa lutar pelo uso sustentável da criação. Zelamos pelas conservação das praias porque temos a nova natureza que não se conforma com a degradação do planeta.

O cuidado sustentável da natureza deve ser a operacionalização da salvação que gozamos em Cristo. A salvação é a libertação do pecado. Pecado é transgressão à vontade de Deus. Logo, restaurar a natureza à vontade de Deus é o mesmo que salvar a natureza da corrupção do pecado. Aqueles que continuam na escravidão do pecado deturpam a realidade. Para eles a harmonia com a criação está de acordo com os seus interesses gananciosos. Atrelado a um sistema que torna a natureza insustentável, evidenciam sua natureza perversa através da destruição dos ecossistemas.

Uma vez que Deus opere a salvação nos homens estes precisam se aperfeiçoar no conhecimento de Cristo. Através da revelação Bíblica o Senhor Jesus nos ensina o que vêm a ser o novo homem. Um ser que vive os valores dos céus. Esses valores não se conformam com a degradação ambiental, pois tem a sua natureza restaurada em Cristo.

Precisamos discutir nosso papel em meio à crise ambiental que vivemos. Somos a nova criação de Deus. A restauração que foi operada em nossos corações precisa ser refletida em nossa consciência ambiental. (Até aqui, Blog Crítica Sagrada).

Aqui na Suíça, buscamos parceria com outras ONGs, a exemplo da Pro Natura, fundada em 1909, sendo a mais antiga organização suíça de proteção ambiental, além de empresas com visão social e ecologicamente correta. Breve estaremos no Brasil, apresentando os nossos parceiros europeus e dando início a um grande projeto socioambiental na cidade de Ilhéus, Bahia.

P.S.: Lembrando que hoje, 05 de junho, é o Dia Mundial do Meio Ambiente.