sexta-feira, 4 de agosto de 2017

AUMENTA A GERAÇÃO "NEM NEM" — NEM TRABALHA NEM ESTUDA

Imagem: Reprodução/Blog Diego Maia 

Quase 10 milhões de jovens brasileiros (15 a 29 anos) no Brasil não trabalham nem estudam. É um exército de reserva que pode ser manobrado para o bem ou para o mal. A classe dominante brasileira sempre teve medo de uma rebelião dos escravos (Darcy Ribeiro). Mas são os antagonismos sociais (desigualdades) do nosso capitalismo selvagem e extrativista que podem um dia explodir por meio de uma violência coletiva devastadora. O IBGE (na Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílio de 2012) apontou que os jovens que não trabalhavam nem frequentavam a escola, os chamados de “nem-nem”, representavam 19,6%. Isso significa 9,6 milhões de jovens, de uma população estimada para o período de 48, 8 milhões de jovens, na faixa etária de 15 a 29 anos.
O problema, aliás, é mundial. O relatório Tendências Mundiais de Emprego 2014 da Organização Internacional do Trabalho (OIT) mostra que o desemprego entre os jovens continua aumentando. Em 2013, 73,4 milhões de pessoas entre 15 e 24 anos estavam sem trabalho – quase 1 milhão a mais do que no ano anterior. Isso representa uma taxa de desemprego juvenil de 12,6 %, mais do que o dobro da taxa de desemprego geral de 6,1%. A pesquisa revelou que o número de jovens que não trabalham nem estudam cresceu em 30 dos 40 países pesquisados. Em 2013, 1 milhão de jovens perderam seus trabalhos.
Boa parcela desses milhões de jovens que não estudam nem trabalham conta, no entanto, com estrutura familiar (é o grupo Nem-Nem acolchoado). O restante é desfamiliarizado (não tem uma constituição familiar sólida nem amparo social, como é corrente nos países de capitalismo selvagem e/ou concentrador: Brasil, EUA etc., que nada têm a ver com os países de capitalismo evoluído e distributivo, civilizados, como Dinamarca, Noruega, Japão, Alemanha, Islândia etc.).
Esse grupo desfamiliarizado (Nem-Nem+), nos países de capitalismo selvagem e extrativista, é uma verdadeira bomba-relógio, em termos sociais, de potencial criminalidade e de violência. Por quê? Porque os fatores negativos começam a se somar (não estuda, não trabalha, não procura emprego, não tem família, não tem projeto de vida...). Se a isso se juntam más companhias, uso de drogas, convites do crime organizado, intensa propaganda para o consumismo, famílias desestruturadas etc., dificilmente esse jovem escapa da criminalidade (consoante a teoria multifatorial da origem do delito). Milhões de jovens, teoricamente, estão na fila da criminalidade (e nossa indiferença hermética não se altera um milímetro com tudo isso).
Diferentemente dos países civilizados de capitalismo evoluído e distributivo (que teriam todos esses jovens dentro da escola), nosso capitalismo bárbaro não se distingue pela educação de qualidade para todos, pelo ensino da ética, pelo império da lei e do devido processo e pela alta renda per capita. O Brasil, aliás, ocupa a vergonhosa 85ª posição no ranking mundial do IDH (índice de desenvolvimento humano). Estamos vivendo uma grave crise intergeracional. A cada dia é “roubado” o futuro de uma grande parcela das gerações mais jovens. Quando as esperanças desaparecerem completamente, o risco é de eclosão de uma grande explosão local e/ou mundial de violência.
________________________________
Nota: A situação permanece a mesma em 2017. O site da Veja, em uma matéria publicada em 22 de julho deste ano, informa que, "com a crise, o número de jovens no Brasil que nem trabalham nem estudam já soma 6,6 milhões". Segundo Zélia Nolasco Freire, Mestra (2003) e Doutora (2009) em Letras pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, o termo nem nem "é uma tradução livre do espanhol, pois na Espanha é conhecida como a geração 'Ni-Ni', 'ni estudian ni trabajan'; na Itália é chamada de 'mammone' porque não larga da saia da mama, e no Reino Unido de 'Kidult'." Vamos continuar orando por nosso país e por nossos jovens!

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

SÃO OS TRAPACEIROS ASTRONAUTAS?


Eu já contei em outra postagem como me tornei ateu após ler o livro "Eram os Deuses Astronautas?", do teórico, escritor e arqueólogo suíço Erich Anton Peter von Däniken. Erich von Däniken também é um dos idealizadores de Alienígenas do Passado, série televisiva americana transmitida pelo History Channel. Claro que também contei na mesma postagem, caso você não tenha lido, como Deus me arrancou da escuridão do ateísmo e me trouxe para a Sua maravilhosa luz  Foi quando percebi as mentiras ardilosas do pseudocientista suíço. 

O fato é que "há um só Deus" (1 Tm 2.5), e, com toda a certeza, Ele nunca foi astronauta. Contudo, a proposta aqui não é analisarmos e provarmos a existência de Deus, mas, sim, sabermos se os astronautas são trapaceiros ou se são homens que realmente foram ao espaço. Parece loucura, não é? Principalmente se você cresceu sonhando em viajar pelo espaço após ter assistido dezenas de filmes produzidos por Hollywood e de ter visto diversas imagens produzidas pela NASA (National Aeronautics and Space Administration), uma agência do governo americano, criada no dia 29 de julho de 1958, que tem por objetivo pesquisar e desenvolver tecnologias e programas de exploração espacial, com a missão de desenvolver o futuro na pesquisa, descoberta e exploração espacial. Parece tudo muito bonito, não é verdade? Pois há quem não ache. Aliás, tem muita gente afirmando que a NASA é uma farsa; que o homem não foi à Lua; que astronautas não passam de trapaceiros que nunca saíram da Terra; que a Terra não é um globo... Não ria, pois a coisa é séria. 

A internet está "estrelada" de sites e vídeos que mostram as supostas artimanhas criadas pela NASA com a finalidade de enganar o mundo inteiro, inclusive o próprio governo americano. É por isso que há cidadãos americanos tentando provar que a agência espacial mais famosa do planeta é, na verdade, uma devoradora de muitos bilhões de dólares vindos dos impostos pagos pelo povo dos Estados Unidos da América. Cidadãos e cidadãs de várias partes do mundo também tentam exaustivamente provar que a NASA e agências espaciais de outras nações estão omitindo informações e promovendo factoides para a manutenção de uma grande farsa que perdura há décadas. E não pense que é gente que não tem o que fazer ou desprovida de conhecimento científico que está participando desse movimento. Há, por exemplo, muitos físicos e geólogos engrossando o caldo das denúncias. 

Eu tenho a minha própria opinião sobre o assunto em tela, e, diga-se de passagem, tenho muito interesse em abordá-lo. Sendo assim, resolvi desenvolver esta postagem e a intitulei "São os Trapaceiros Astronautas?", a fim de confrontar o título "Eram os Deuses Astronautas?", do livro de Erich von Däniken. Isso me dá um certo gostinho de vingança daquele que contribuiu para que eu mergulhasse cegamente no ateísmo. Culpa dele? Claro que não! Culpa da minha ignorância. Mas, mesmo assim, ele merece ser confrontado, pois permanece sustentando as suas teorias fajutas.

Segundo o Dicionário inFormal, "trapaceiro é o indivíduo que faz trapaça, que engana; que usa de fraude; que usa de artifícios ilícitos". Será que os astronautas podem ser considerados trapaceiros? Será que eles são protagonistas em uma grande fraude? Será que a NASA está enganando o mundo inteiro com uma farsa há cinquenta e nove anos? Há quem diga que sim. O Diário Pernambucano, por exemplo, publicou em 2012 uma matéria com o seguinte título: "NASA enfrenta primeiras denúncias de farsa em missão enviada a Marte". Leia abaixo parte dessa matéria:

"A névoa da incredulidade junto aos factoides espetaculosos promovidos pelos Estados Unidos da América já ofusca o êxito da mais recente missão da NASA. Tão logo foi divulgado o pouso do Curiosity em Marte, espalhou-se pela Internet acusações de falsidade nas primeiras imagens feitas do solo marciano pelo jipe-robô mais caro produzido pela agência espacial. (...)

Corroborando a tese de fraude, o site Wikileaks divulgou documentos que comprovariam a inviabilidade orçamentária de uma missão como a Curiosity para o governo dos EUA. 'Nos últimos anos, o governo norte-americano gastou trinta trilhões de dólares para impedir a bancarrota de conglomerados financeiros cujas especulações massivas incitaram a atual crise nos mercados globais. Outros tantos trilhões custearam guerras absurdas e provocaram centenas de milhares de mortes. Frente a tantas outras farsas funestas, a procura por resquícios de vida em Marte soa como um mero escárnio', afirma o site na apresentação de seu dossiê."

Claro que existem matérias mais antigas que essa do Diário Pernambucano, onde a NASA é confrontada e colocada sob suspeita. Porém, são as mais atuais que atacam com bastante veemência as ações da agência espacial norte-americana, apresentando farto material que nos induz de forma eficiente a, pelo menos, questionarmos informações, vídeos,  fotos e fatos apresentados pela NASA e por agências espaciais de outros países. Portanto, apresentarei na segunda parte deste estudo alguns links que te conduzirão para alguns dos principais endereços que tratam da matéria em apreço.

Você deve estar se perguntando sobre o que eu penso acerca de tudo isso, já que deixei claro que não acredito na teoria falaciosa de que a Terra foi visitada na Antiguidade por seres extraterrestres, e que a raça humana é fruto do cruzamento entre alienígenas e mamíferos primatas, conforme sustenta o suíço Erich von Däniken. Bem, como esta postagem não é conclusiva, tendo em vista que outras virão na sequência, manifestarei as minhas considerações de forma gradativa. Contudo, adianto que o meu interesse aqui é fazer com que algumas pessoas pensem dentro da bolha; que não se deixem levar pelo que ouvem, leem ou veem. É extremamente necessário que tenhamos um senso crítico aguçado, a fim de não aceitarmos qualquer tipo de imposição sem questionamentos. Com a imensa quantidade de informações ao alcance dos olhos e dos ouvidos, muitas pessoas se inclinam a aprender de tudo um pouco. Aí está o problema, pois saber de tudo um pouco é impeditivo para uma atitude crítica. É preciso, dentre outras coisas, analisar, observar, interpretar e avaliar. Como dar uma opinião crítica sem o total conhecimento de um determinado assunto? Ops! Eu  disse anteriormente que o meu interesse aqui é fazer com que algumas pessoas pensem dentro da bolha. Então, você pode estar perguntando: "E alguém que está dentro da bolha pode pensar?". A resposta é: Claro que sim! E mais: Uma pessoa pode até pensar dentro da caixa. Lembrando que pensar fora da caixa, embora não se tenha certeza de onde teria surgido essa expressão, significa pensar sem estar preso a ideias convencionais. O empresário Thiago Oliveira, que já foi Office Boy e construiu uma grande empresa, defende em seu livro "Pense Dentro da Caixa" (Editora Gente) que, embora vivamos em caixas ("...nosso trabalho é uma caixa, nossa escola, a faculdade, a família"), podemos pensar e criar oportunidades. E se podemos pensar dentro da caixa, podemos pensar mais ainda dentro da chamada bolha social, mesmo porque, nem sempre é bom arriscarmos sair da bolha na qual estamos inseridos. Quem nos garante que o que vamos encontrar em outra bolha é seguro e correto?

Eu estou dentro de uma caixa e você dentro de outra, mas podemos estar dentro da mesma bolha. E existe uma bolha maior, dentro da qual estão inseridas muitas outras bolhas. É como se estivéssemos na Terra, vivendo em um mesmo "universo", porém em "galáxias" diferentes. Ou no mesmo "universo", na mesma "galáxia", mas em "planetas" diferentes. Ou, ainda, no mesmo "universo", na mesma "galáxia", no mesmo "planeta", mas em "continentes" diferentes... Falando dessa forma, voltemos ao assunto da NASA: São os trapaceiros astronautas? O homem pisou realmente no solo da Lua? As imagens fornecidas pela agência espacial norte-americana são reais ou manipuladas? Analisemos estes e alguns outros fatos. Esta é a minha proposta.

Foto: Reprodução/Apocalipse News
O americano Daniel Shenton, radicado em Londres, é o presidente da Flat Earth Society (Sociedade Terra Plana), uma organização que defende e tenta explicar que não vivemos em uma bola gigante que gira em torno do Sol, mas em um grande disco, com o Sol e a Lua girando acima das nossas cabeças e abaixo de um domo. Shenton faz parte de um grande "coral" que canta a mesma "música": "A NASA É UMA FARSA!". Todos eles contestam a ida do homem à Lua e lutam para provar que os astronautas não passam de trapaceiros que protagonizam os papéis principais em um filme com muitos efeitos especiais. A efervescência dos debates vem tomando proporções cósmicas no Youtube e nas redes sociais. Fico imaginando como os cientistas da NASA estão reagindo diante de tantas acusações e exibições de supostas fraudes. Se estão convictos de suas ações e possuem provas concretas, com certeza estão dormindo tranquilos e rindo muito de tudo isso. Caso contrário, a casa vai cair a qualquer momento.

Talvez Rubens Sodré do Nascimento, mais conhecido como Irmão Rubens  ou simplesmente Rubens , seja o brasileiro que mais acusa a NASA de fraude. Aliás, a agência espacial americana é apenas um dos alvos sob a mira da "metralhadora giratória" de Rubens Sodré. Através do seu canal Verdade Oculta no Youtube, Rubens dispara acusações para todos os lados. Eu, inclusive, sou alvo desse franco atirador youtubeano, tendo em vista que ele não poupa nenhum pastor. Há muitos anos ele vem criticando o sistema Illuminati, igrejas, pastores e, recentemente, vem atacando com veemência a NASA e os globalistas (aqueles que defendem que a Terra é um globo girando em torno do Sol). Ele convoca todo mundo a sair da bolha, chamando todos aqueles que nela permanecem de "gado". Falarei mais sobre Rubens Sodré em outra postagem (SÃO OS TRAPACEIROS ASTRONAUTAS?  PARTE II), tendo em vista que usarei algumas declarações dele para fundamentar os meus argumentos e para refutar tudo que considero exagero e espetacularização.               


Continua na PARTE II — Aguarde!       

     

domingo, 30 de julho de 2017

PROTEJA SEU CASAMENTO (PARA CASADOS E SOLTEIROS)

Foto: Reprodução/Mercado Livre

Muitas vezes um casamento vai bem, e acaba abalado por causa de um relacionamento inesperado com uma terceira pessoa. Começa de maneira inocente e agradável, torna-se cada vez mais envolvente. Por fim, traz complicações e desgraças para muita gente.

Não foi um acidente ou "um grande amor que surgiu". Foi um relacionamento do qual o casamento deveria ter sido protegido. Não seja ingênuo pensando que isto só acontece com os outros. Muita gente boa já caiu exatamente por ser ingênua assim. Lembre-se de 1Co 10.12. Por isso, proteja seu casamento...

Eis algumas dicas:
 

Tenha bom senso com suas companhias

Evite gastar tempo desnecessário com alguém do sexo oposto. Muitos casos surgem por não se agir assim. Um executivo precisa de aulas particulares de inglês e contrata uma jovem professora. Contrate um homem. Não significa que cada contato com alguém do sexo oposto seja porta para o adultério. Significa evitar oportunidades para cair. Companhia contínua cria intimidade. Intimidade com o sexo oposto traz problemas.

Tome cuidado com as confidências

A pessoa mais íntima de alguém deve ser seu cônjuge. Segundo a Bíblia, são "uma só carne", isto é, uma só pessoa. Se há aspectos de seu relacionamento que você não pode compartilhar com esposo(a) e compartilha com alguém do sexo oposto, a coisa está ruim. As pessoas tendem a se solidarizar com quem sofre e a proximidade emocional se torna perigosa. Um homem que se queixa de sua esposa para outra mulher está traçando um caminho perigoso. Isto vale para quem faz e para quem ouve confidências.

Evite momentos a sós

Decida não ter momentos privados com alguém do sexo oposto. Se um(a) colega de trabalho pedir para ter um almoço com você, convide uma terceira pessoa. Se necessário, não se constranja em compartilhar os limites que você e seu cônjuge concordaram ter no seu casamento. É melhor ser visto como rude que vir a cair em pecado.

Vigie seus pensamentos

Cuidado com o que pensa. Se você só se detém nos defeitos de seu cônjuge, qualquer outro homem ou mulher parecerá melhor. Faça uma lista das coisas que inicialmente lhe atraíram em seu cônjuge. Aumente o positivo e diminua o negativo. Evite filmes, conversas, sites e literatura que apologizam o adultério. Lembre de Colossenses 3:2.

Evite comparações

Um homem trabalha com uma mulher perfumada, maquiada, bem vestida. Em casa encontra a esposa, com criança no colo, cabelo desfeito, banho por tomar. Uma mulher encontra um homem compreensivo com quem pode se abrir, e se sente mais à vontade com ele do que com o esposo. Ignoraram situações e contextos diferentes. Foram iludidos pelo irreal. Lembre-se do pródigo: o mundo lhe era fascinante, mas terminou num chiqueiro. As aparências iludem, porque o mundo em que vivemos em casa é o real. O mundo de relacionamentos fora de casa é sempre artificial.

Evite a síndrome do retorno

É a idéia de que a vida sentimental e sexual caiu na rotina, e agora, a pessoa "renasceu". Já vi inúmeros casos assim: "Eu renasci", ou "Eu me senti jovem de novo". Não banque o adolescente. Você é um adulto com responsabilidades e com uma pessoa com quem partilha a vida. Construa sua vida com seu cônjuge. Se sua vida conjugal se "fossilizou", há outros caminhos. Revigore-a com seu cônjuge. Há pessoas que sempre se fossilizam e pulam de relacionamento em relacionamento, procurando o que não produzem. Temos o que produzimos.

Ponha seu coração no seu lar

A solidez do casamento vem pelo tempo que os cônjuges gastam juntos. Conversas, risos, passeios, programas comuns. Se você não sai com seu cônjuge, marque datas para os próximos meses. Vocês devem ter um ao outro como o melhor companheiro. Mantenham o clima de namoro: querer estar junto com a pessoa. Orem juntos. Dificilmente duas pessoas que oram juntas brigarão entre si. Sejam parceiros espirituais.

Invista em seu cônjuge

O marido da mulher virtuosa é conhecido quando se levanta em público (Pv 31:23). A idéia é que ele está bem vestido e vê o caráter dela pela roupa dele. Uma boa esposa é um bom tesouro (Pv 18:22). De bom tesouro cuida-se e evita-se perdê-lo. Marido: mulher bem tratada é um grande investimento; o retorno emocional é garantido. Mulher: marido bem tratado é um grande investimento; o retorno emocional é garantido.

Busque ajuda

Havendo problemas, busque ajuda. Primeiro em Deus. Lembre-se de Tiago 1:5. Busque orientação de pessoas mais experientes ou de seu pastor. Evite que o problema se avolume. Evite conselhos de gente que não tem o que dizer. Os amigos de Roboão lhe deram maus conselhos (1 Rs 12:6-12). Nesta busca de ajuda, evite por mais lenha na fogueira. Evite também raiz de amargura (Hb 12:15). Busque ajuda e não um juiz a seu favor.

Conclusão

Bons casamentos não acontecem por acaso. São produto de muito trabalho e da graça de Deus. Boa parte do trabalho é investimento emocional no relacionamento conjugal. "Vender a alma" para o cônjuge. Mas investir sem proteger é problemático. É preciso levantar cercas contra os problemas externos, porque os internos são mais vistos e os dois os vivenciam. Não permita brechas. Não dê armas ao inimigo.



Fonte: Jornal Ágape de Limeira/SP - www.isaltino.com.br


CUIDADO COM OS ROUBADORES DE IDENTIDADE!



Baseado em uma pregação da Pastora Helena Raquel


Algumas pessoas insistem em fazer alianças maléficas e destrutivas. A mesma birra que elas faziam com os pais, quando a mãe dizia "não ande com fulana", quando o pai dizia "não ande com sicrano", hoje elas trazem esse mesmo temperamento, esse mesmo formato arredio, rebelde, para a sua vida em Deus. E por mais que você diga a ela o perigo de certas alianças, ela insiste em mantê-las; o discurso é sempre o mesmo: "Eu amo!", "Eu tenho esperança de ganhar.", ou "Eu sou forte o suficiente para manter esses relacionamentos sem que eles me contaminem". Porém, você precisa entender que algumas alianças têm nome de aliança mas não são alianças, são laços. Aliança é como a que usamos em um dos dedos da mão, quando somos noivos ou casados, que podemos tirar quando quisermos e colocar de volta quando desejarmos. Agora, laço é diferente. Laço é, muitas vezes, difícil de desatar, e, em alguns casos, até impossível. Talvez você esteja chamando de aliança o que o Céu está chamando de laço; talvez você esteja chamando de aliança o que o diabo colocou em seu caminho como um laço. Todavia, creia que existe uma pessoa que é especialista em desatar laços: o Senhor Jesus Cristo!

Deus, através de Moisés, disse o seguinte"Se disseres em teu coração: Estas nações são mais numerosas do que eu; como as poderei lançar fora? Delas não tenhas temornão deixes de te lembrar do que o SENHOR, teu Deus, fez a Faraó e a todos os egípcios; das grandes provas que viram os teus olhos, e dos sinais, e maravilhas e mão forte, e braço estendido, com que o SENHOR, teu Deus, te tirou; assim fará o SENHOR, teu Deus, com todos os povos, diante dos quais tu temes." (Dt 7.17-19). Você tem um histórico que justifica o nível de confiança que você tem em Deus. Você tem experiências suficientes com Deus para acreditar que o mesmo Deus que fez no passado fará outra vez. Deus nos convida a olharmos para o passado e entendermos que o que Ele fez por nós ontem, Ele ainda pode fazer hoje, pois Ele é o mesmo, ontem, hoje e eternamente. Portanto, se lembrarmos sempre do que Deus fez por nós no passado, confiaremos Nele no presente e no futuro. 

Precisamos contar o que o SENHOR já fez em nossas vidas, mesmo que as pessoas nos considerem chatos por repetirmos isso por várias vezes. Mas, enquanto contamos para os outros o que o SENHOR já fez em nossas vidas, essa história estará sendo recontada para nós mesmos. E quando essa história for recontada para nós mesmos, iremos entender que não existe motivo algum para duvidarmos do poder de Deus e da Sua providência. 

Uma certa mulher, todas vezes que tinha uma oportunidade na igreja, agradecia ao Senhor Jesus por Ele a ter curado de um câncer. Recebia a oportunidade para cantar um hino e, então, dizia: "Irmãos, aproveito a oportunidade para agradecer a Jesus, pois Ele me curou de um câncer." Era convidada para orar por alguém e, antes de orar, dizia"Irmãos, quero aproveitar essa oportunidade para agradecer a Jesus, pois Ele me curou de um câncer." E isso se repetia sempre. Determinado dia, um crente "fiscal de culto", já irritado com a atitude daquela mulher, perguntou: "Irmã, me responda por favor: por que a senhora, todas as vezes que tem uma oportunidade, repete que Jesus te curou de um câncer?". Ela, olhando para ele, disse: "Você só saberá se um dia você for curado."

A confiança que temos no SENHOR não é o resultado da leitura de livros de autoajuda, de testemunhos alheios e, muito menos, de lavagem cerebral. Nós que confiamos no SENHOR, confiamos através de experiências reais vividas com Ele; por vê-Lo agir de forma concreta em nosso favor, nos dando livramentos, nos curando, nos concedendo vitórias em diversas áreas e circunstâncias. "...das grandes provas que viram os teus olhos, e dos sinais, e maravilhas e mão forte, e braço estendido, com que o SENHOR, teu Deus, te tirou; assim fará o SENHOR, teu Deus, com todos os povos, diante dos quais tu temes. E mais: o SENHOR, teu Deus, entre eles mandará vespões, até que pereçam os que ficarem e se escondam de diante de ti." (Dt 7.19-20). Preste bastante atenção, pois o que está sendo dito aqui é profético. O que o SENHOR está dizendo é"Lute, lute, lute e guerreie para vencer todos os seus adversários! Porém, quando você olhar e não enxergar mais nenhum deles, deixa comigo, porque vou soltar vespas para procurar aqueles que os teus olhos não veem, mas ainda estão escondidos." O SENHOR está dizendo que os inimigos que não conseguimos ver, Ele está vendo; que os inimigos que não conseguimos perceber, Ele percebe. E sabe qual é a boa notícia? O exército do SENHOR vai procurá-los onde eles estiverem. Há inimigos que ainda estão escondidos. Você lutou com a espada, você guerreou com a espada, você pelejou com a espada, mas os inimigos estão atrás de uma pedra, atrás de um computador, lá no setor de trabalho daquele homem  quando ele entra o inimigo senta ao lado dele... Contudo, o SENHOR mandará o Seu exército e nenhum inimigo sobreviverá.

"...Quando o SENHOR, teu Deus, te tiver introduzido na terra, a qual passas a possuir, e tiver lançado fora muitas nações de diante de ti, os heteus, e os girgaseus, e os amorreus, e os cananeus, e os perizeus..." (Dt 7.1). Nós vamos vencer o espírito, o ânimo e a tendência dos perizeus! Os perizeus também são chamados de ferezeus. São os descendentes de Canaã, filho de Cam; possivelmente a classe baixa dos cananeusaqueles que viviam aquém das principais cidades, mas que na verdade vinham da mesma origem. Segundo o dicionário etmológico de nomes bíblicos, os perizeus são habitantes de aldeias sem muros. E a História comprova isso. Algumas vezes o dicionário dá conta do significado no sentido etmológico, mas quando a História embasa, abraça, isso aí se torna mais do que profético, é histórico, é realidade. Os perizeus viviam sem muros; eles viviam sem proteção. Eles estavam acostumados a formar aldeias, mas nessas aldeias eles viviam em liberdade. Todavia, você precisa entender que liberdade pode estar ligada à vulnerabilidade. Talvez você ache incrível um condomínio sem grades ou uma casa sem muros. Mas, quando se tem todo um sistema de segurança, que propicia essa condição sem expor as pessoas a riscos. Talvez você olhe em alguns filmes e veja algumas cidades americanas onde as casas estão sem muros — claro que isso depende do bairro onde se mora, principalmente aqui no Brasil. Para os perizeus, não era fácil, pois manter esse sistema de liberdade impunha uma grande vulnerabilidade. Os inimigos podiam atacá-los e vencê-los em qualquer momento, pois eles estava desprotegidos. A tendência e o ânimo  dos perizeus diz para alguém: "Você não precisa de muros!". Contudo, precisamos entender que todos nós precisamos de muros limitadores. 

Algumas pessoas estão celebrando a liberdade de não ter um rebanho, celebrando a pseudo-liberdade de não ter um pastor, celebrando a liberdade de não ter que cumprir horário, a liberdade de não ter que dar satisfação dos lugares que vai e por onde anda, a liberdade de poder congregar o dia que quer, a hora que quer e onde quiser. O que essas pessoas não sabem é que no pacote da liberdade está inserida a vulnerabilidade. E parece que você é um robozinho, parece que você é bobinho ou bobinha, porque você tem horário, porque você tem dia, porque você não pode sumir, pois as pessoas te ligam, as pessoas te "cobram". Porém, os que as pessoas não sabem ao teu respeito é que a Igreja do Senhor Jesus enquanto corpo é um muro que está ao teu redor, e não permite que Satanás toque em você. 

Eu não quero liberdade que me exponha a riscos; enão quero liberdade que me exponha à dor; enão quero liberdade que me exponha a setas; enão quero liberdade que exponha o meu casamentoenão quero liberdade que exponha a minha famíliaenão quero liberdade que arruína a minha saúdeenão quero liberdade que acaba com as minhas finanças; enão quero liberdade que transtorne o meu psiquismoenão quero liberdade que abale a minha moral na sociedade onde estou inserido. Isso não é liberdade, isso é autodestruição. Na Igreja você não está cerceado ou cerceada, mas está guardado ou guardada, pois o Senhor Jesus nos faz deitar em pastos verdejantes, guia-nos mansamente a águas tranquilas (Cf. Salmo 23.2). Tem cerca, mas tem alimento; tem cerca, mas tem água; tem cerca, mas tem pastoreio; tem cerca, mas tem remédio para as feridas.

Alguém pode dizer: "— Eu tô de boa!". Pergunto a essa pessoa que diz estar "de boa" o que foi que ela comeu no domingo. Ela responde que "comeu" o Programa do Faustão, o Fantástico e o Programa Sílvio Santos. Então digo para essa pessoa que eu comi da Escola Bíblica Dominical pela manhã e da Palavra vinda do Céu à noite. Ela, escarnecendo, pergunta: "— Já vai, bobinho, correndo para a igreja para entregar o teu dízimo? Eu respondo que vou e pergunto-lhe onde ela entrega os dez porcento do que ganha. Ela prontamente responde: "— Eu não entrego nada!". Falo que isso é mentira do diabo e que, na verdade, ela entrega cem porcento, porque coloca o dinheiro na cachaça, no cigarro, na maconha, na balada, no jogo do bicho, etc. Digo para essa pessoa, ainda, que ela não é livre, mas que está presa. Explico que quem está no rebanho do Senhor Jesus Cristo está guardado. O espírito do perizeu (ferezeu) está dizendo para você sair para curtir. O espírito do perizeu está dizendo que você é novo demais para ficar preso. Mas o Espírito Santo está dizendo que junto às águas você tem descanso.

Os filhos de José se dirigiram a Josué e reivindicaram: "Por que me deste por herança apenas uma parte e uma porção, sendo eu um tão grande povo, visto que o SENHOR até aqui me tem abençoado?" (Js 17.14). O que os filhos de José estavam querendo dizer era o seguinte: "Por que eu recebi tão pouco se eu sou tão grande?". Então, Josué orientou os filhos de José assim: "Se tão grande povo és, sobe ao bosque e corta para ti ali lugar na terra dos perizeus (ferezeus) e dos refains, pois que as montanhas de Efraim te são estreitas.(Js 17.15). O que Josué estava dizendo era o seguinte: "Não está satisfeito com a tua porção?". Essa mesma pergunta eu te faço agora: Você está insatisfeito ou insatisfeita com a tua porção? Talvez você esteja dizendo agora que gostaria de pregar mais, ou de cantar mais (canta, mas não é como você gostaria de cantar); gostaria de ter mais graça, ter mais poder, ter uma casa melhor... Você não está feliz com a tua porção! Inclusive você não está feliz com o cargo que exerce na igreja, pois você é tão grande para um cargo tão pequeno. Lembremos aqui o que Josué estava querendo dizer aos filhos de José: "Se tu és um povo tão grande, e o que tens é pouco, sobe a floresta; toma uma parte da terra dos ferezeus e dos refains, desmata, limpa o terreno segundo as tuas necessidades". Mais claramente, o que Josué está dizendo é: "Se a porção que eu te dei como representante do povo de Deus é pouco pra você, eu te dou uma sugestão: tem uma terra ocupada pelos perizeus (ferezeus) e é só você ir lá, expulsar os inimigos, cortar as árvores e preparar a terra, porque quem não está conformado com aquilo que tem deve arregaçar as mangas para conquistar aquilo que não tem". Se você está conformado ou conformada com a porção que recebeu, dê glória a Deus e continue do jeito que está. Porém, se você não quer morrer com a porção que recebeu, arregace as mangas, olhe para o lugar onde estão os "perizeus" e dê ordens para que eles saiam de lá. Se Deus está te dando a possibilidade de ter mais do que você tem, de ser mais do que você é e ir mais longe do que você já foi, então não morra com o que você tem, como você é e onde você está. Se Deus está te permitindo ir, vá mais além.

Quer mais poder? Suba a "floresta"! Quer pregar com unção? Suba a "floresta"! Quer uma igreja igual àquela que existia há quarenta anos? Suba a "floresta"! Tem coisa na vida da gente que só vai acontecer quando nós arregaçarmos as mangas e subirmos a "floresta". Os descendentes de José contestaram dizendo: "As montanhas não nos bastariam; também carros de ferro há entre todos os cananeus que habitam na terra do vale, entre os de Bete-Seã e os lugares da sua jurisdição e entre os que estão no vale de Jezreel." Josué olhou e falou à casa de José, a Efraim e a Manassés: "Grande povo és e grande força tens; tu não terás apenas uma parte; porém as montanhas serão tuas; e, pois que bosque é, corta-o, e as suas saídas serão tuas; porque expelirás os cananeus (que aqui são os ferezeus), ainda que tenham carros de ferro, ainda que sejam fortes." (Js 17.17,18). O que José estava dizendo era: "Merecer vocês merecem, mas vão ter que trabalhar." 

Dentro do território da conquista dos lugares estão ocupados: Bete-Seã e Jezreel. Bete-Seã significa "casa da tranquilidade" e Jezreel significa "Deus semeia". Viver com uma pequena porção é viver sempre em riscos. Quem tem uma pequena porção dificilmente fica tranquilo. Quem tem contas para pagar, tais como IPVA, IPTU, energia, água, telefone e aluguel, está tranquilo se tiver uma boa porção na conta bancária, pois sabe que, apesar das contas a pagar, tudo vai ficar bem. Sabe quando você vai alcançar a "casa da tranquilidade"? Quando a tua porção dobrar! Só que aqui não se trata de dinheiro — eu usei o dinheiro apenas como recurso para que você entendesse. O que eu quero dizer é que quando a tua porção com Deus dobrar, você vai alcançar um nível de tranquilidade que você vai dormir no meio da tempestade. Eu estou dizendo que quando a tua porção de comunhão, de graça, de poder, de conhecimento e de experiência dobrar, você vai dormir no meio da tempestade. Pedro quando deixou de viver segundo a carne e passou pelo pentecostes, e foi cheio do Espírito Santo, dormiu tranquilamente dentro de uma prisão, mesmo sabendo que iria ser executado no outro dia (At 12.3-7). Com porção dobrada, Daniel, mesmo tendo sido lançado na cova de leões famintos, não deu escândalo pedindo para ser tirado de lá e para não morrer (Dn 6.16-22). Ester, com porção dobrada, não temeu o rei Assuero e declarou que se fosse para morrer ela morreria, mas não deixaria de fazer o que era para ser feito (Et 4.15,16). Você quer morar na "casa da tranquilidade"? Se você estiver morando na "casa da tranquilidade" muita gente não vai entender e perguntará: "Não tem dinheiro e está tranquilo(a)? Não tem emprego e está tranquilo(a)? Não tem saúde e está tranquilo(a)? Estão te caluniando e você está tranquilo(a)? A casa está caindo e você está tranquilo(a)? Você está com o nome na lista de demissão e mesmo assim está tranquilo(a)?...". Você então responderá que subiu o "monte" e pegou porção dobrada. 

Eles ocupavam o vale de Jezreel. Quem eram os perizeus (ferezeus)? Os habitantes de aldeias sem muros. Quem eram os perizeus (ferezeus)? Impeditivos para a expansão do território, como podemos ver no livro de Josué (Js 7.14-18). Eles não deixavam que as pessoas conseguissem chegar no vale de Jezreel. A melhor tradução para Jezreel é "Deus semeia". A palavra semear está em uso. Algumas palavras caem em desuso e outras são muito usadas. Semear está em uso. Há gente que quando vê outra pessoa com um relógio bonito, diz brincando: "— Bem que você podia semear na minha vida." Outro, todo feliz, conta um testemunho dizendo: "— Fui convidado para ir em uma igreja e um irmão que nunca me viu semeou na minha vida." Isso acontece, tanto no brincar quanto em contar um testemunho verídico. Tem gente que dá uma oferta a um pregador ou a uma pregadora e diz que sentiu no coração a vontade de semear no ministério dele ou dela. Você quer que alguém semeie em tua vida? Embora alguém possa semear na tua e na minha vida, existe um limitador, pois homens não possuem condições de semear todas as sementes que precisamos. Porém, em "Jezreel" o semeador é Deus. O que isso quer dizer é que quando você alcançar a porção dobrada, as pessoas serão apenas um instrumento, porque a semeadura virá de Deus para a tua vida. Eu estou dizendo que quando você alcançar a porção dobrada as pessoas se tornarão apenas instrumentos, e só se Deus quiser usá-las, porque se Deus não quiser usá-las, Ele fará de forma direta. Não diga que isso é impossível, porque quando Deus quis dar o maná ao povo, não usou garçom para fazer isso e nem cozinheira. Se o teu milagre tiver que chegar através de outra pessoa e essa pessoa não quiser ser instrumento de Deus em tua vida, então ela terá que sair da frente, pois Deus fará o milagre chegar até você, nem que ele caia como maná na varanda da tua casa. Deus semeia! Deus semeia! Creia: Deus semeia! Você pode nunca ter ganhado em nada, nem em rifa de escola, mas creia que quem vai semear em tua vida é Deus.

Quem precisamos vencer no poder do nome do Senhor Jesus? Os "moradores de aldeias sem muro"! Os impeditivos para a expansão do território, para a chegada da porção dupla! Vamos vencer os agentes sutis! Em Gênesis está escrito: "E houve contenda entre os pastores do gado de Abrão e os pastores do gado de Ló; e os cananeus e os ferezeus (perizeus) habitavam, então, na terra." (Gn 13.7). Do nada, gente que já estava acostumada a viver junto... porque adaptação é difícil, mas quem está acostumado a viver junto é diferente. Mudou para o trabalho hoje, começou hoje na faculdade, novos amigos, a adaptação é difícil. Abrão e Ló não, pois eles estavam caminhando juntos há muitos anos. Todavia, de repente houve uma desavença entre os pastores dos rebanhos de Abrão e Ló. De repente, sabe? Melhores amigas, mas de repente... Pastor e ovelha num relacionamento de extrema confiança, mas de repente... Ministro em um ministério há vinte anos, mas de repente... Pai, mãe, filho, filha, cunhado, cunhada, nora, genro, todo mundo em harmonia, briga e depois acerta, porque a família já se conhece há muitos anos, porém, de repente tem uma briga e não dá mais; é uma briga tão forte que tem que separar e não tem mais como morar na mesma casa; que não dá mais para almoçar juntos; é uma guerra tão forte que não dá mais para ser membro da mesma igreja... Mas depois de tanto tempo juntos? Você já estava acostumado ou acostumada com aquela irmã lá da igreja que é uma bênção mas que não tem modos para falar, de vez em quando ela solta uma palavras daquelas, porém você nunca ligou pra isso, você até ria, mas de repente foi tão forte que não dá para olhar mais. Veja novamente o que diz o texto em Gênesis: "E houve contenda entre os pastores do gado de Abrão e os pastores do gado de Ló..."(Gn 13.7). E essa desavença foi por causa de nada? Foi porque o escritor de Gênesis não tinha nada para escrever e aí escreve assim naquela época? Nada disso! Os cananeus e os ferezeus (perizeus) habitavam aquela terra. O que ele deixa a gente perceber aqui, implícito no texto como uma luz, é que o problema não era dos pastores, porque eles já estavam acostumados a conviver juntos, o problema era dos agentes sutis que entram na nossa família, que entram nas nossas igrejas, que entram na nossa empresa, que chegam no nosso bairro, que muitas vezes é gente de carne, pele e ossos, outras vezes são os seres espirituais que estão ali no meio para de repente aquilo que sempre foi comum se tornar tão grave que a comunhão seja partida. Contudo, Deus já achou esse ferezeu (perizeu) e a nossa família não vai se separar por causa dele.

Quem são os perizeus (ferezeus)? Os "habitantes de aldeias sem muros". Quem são os perizeus (ferezeus)? Impeditivos da expansão do território e da chegada da porção dobrada. Quem são os perizeus (ferezeus)? Agentes sutis. Só a presença deles altera o clima; altera os nervos e a gente começa a não suportar mais o que suportava antes, a não amenizar mais o que amenizava antes e a não ponderar mais o que ponderava antes. 

No livro de Juízes está escrito: "E subiu Judá, e o SENHOR lhe deu na sua mão os cananeus e os ferezeus (perizeus); e feriram deles em Bezeque a dez mil homens. E acharam a Adoni-Bezeque em Bezeque, e pelejaram contra ele, e feriram aos cananeus e aos ferezeus (perizeus). Porém, Adoni-Bezeque fugiu; e o seguiram, e o prenderam, e lhe cortaram os dedos polegares das mãos e dos pés. Então, disse Adoni-Bezeque: Setenta reis, com os dedos polegares das mãos e dos pés cortados, apanhavam as migalhas debaixo da minha mesa; assim como eu fiz, assim Deus me pagou. E o trouxeram a Jerusalém, e morreu ali." (Js 1.4-7). Liderados de Adoni-Bezeque. Adoni-Bezeque tinha o triste hábito de humilhar reis. Ao vencer nações, ele tomava a sua cabeça, o seu homem principal, cortava os polegares das mãos e dos pés, e com isso esses perdiam basicamente, entre muitas características, identidade e equilíbrio. O ânimo dos ferezeus (perizeus), o espírito dos ferezeus (perizeus), a tendência dos ferezeus (perizeus) visa tirar o seu equilíbrio e a sua identidade. Você pode estar atormentado ou atormentada, desequilibrado ou desequilibrada, mas creia, você vai morar na "casa da tranquilidade". Eu quero especialmente falar sobre identidade. Uma das coisas que o espírito dos ferezeus (perizeus), o ânimo dos ferezeus (perizeus), a tendência dos ferezeus (perizeus) quer fazer em você é alterar aquilo que você é. Isso é muito perigoso, porque quando uma pessoa que grita sempre gritou, a gente se chateia mas não se preocupa, pois ela está no seu estado normal. Quando uma pessoa responde com apatia diante de uma tempestade, mas sempre foi assim desde criança, a gente se aborrece mas não se preocupa, pois ela está no seu estado normal. Todavia, a grande ação desse inimigo é transformar quem você é. No Evangelho segundo escreveu Lucas está escrito: "E falando ele dessas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles e disse-lhes: Paz seja convosco." (Lc 24.36). O que isso tem a ver com identidade? O texto nos informa que o mesmo Jesus. Ele foi trocado por Barrabás; Ele foi cuspido; Ele foi açoitado; Ele recebeu uma lança do lado; Ele bebeu vinagre; Ele morreu crucificado; Ele foi tirado da cruz e depositado em um sepulcro; Ele passou três dias morto e no terceiro dias seus discípulos foram visitá-Lo e Ele recebe um corpo glorificado. Agora Ele vai visitar a casa desses discípulos e não precisa nem bater na porta, Ele aparece no meio da sala. Mas o escritor fez questão de escrever: "...o mesmo Jesus". Teve traição, teve humilhação, teve deboche, teve vergonha, teve açoite, teve coroa de espinhos, teve crucificação. Para por aí? Não! Teve vitória, teve triunfo, teve glória, teve ressurreição... Mas uma coisa disseram sobre Ele: Ele é o mesmo. Tem gente mudando por causa da dor e tem gente mudando por causa da glória. Porém, o ferezeu (perizeu) não vai roubar a tua identidade. 

Fizeram um banquete e pegaram o que havia na casa do SENHOR para usar em um culto a deuses pagãos — uma festa pagã. beberam nos copos da casa do SENHOR; usaram os utensílios da casa do SENHOR... Mas, de repente, apareceu uma mão misteriosa e escreveu na parede: "MENE, MENE, TEQUEL e PARSIM" (Dn 5.1-25). Você sabe o que é uma mão aparecer sem braço escrevendo na parede da tua casa? Belsazar começou a tremer; não aguentava o corpo em pé (Dn 5.6). Aí a mãe dele, a rainha mãe, disse: "(...) Ó rei, vive para sempre! Não te turbem os teus pensamentos, nem se mude o teu semblante. Há no teu reino um homem que tem o espírito dos deuses santos; e nos dias de teu pai se achou nele luz, e inteligência, e sabedoria, como a sabedoria dos deuses... chame-se, pois, agora Daniel, e ele dará a interpretação.(Dn 5.10,12). E saber que nos últimos anos algumas pessoas perderam luz, inteligência e sabedoria; não são mais as mesmas. Lembra quando você, no café da manhã, já socava a mesa cheio ou cheia do Espírito Santo? Diziam que você era menino ou menina, mas já tremia o copo na mesa de manhã. Lembra? Lembra quando você olhava no espelho uma vez, olhava duas vezes e alguém dizia que você estava ficando velho ou velha, mas você era mais santo ou santa? Lembra que quando passava qualquer coisa na TV você já metia a mão no controle e dizia que aquilo não podia entrar em tua casa? Daniel foi chamado e chegou com o mesmo semblante de crente, com o mesmo semblante de luz, com o mesmo semblante de inteligente e de sábio... "Então, Daniel foi introduzido à presença do rei. Falou o rei e disse a Daniel: És tu aquele Daniel...?" (Dn 5.13). Faço essa pergunta para você, meu irmão ou minha irmã que está lendo este texto. Você é aquela mesma pessoa que orava nas madrugadas? Você é aquela mesma pessoa que se santificava? Você aquela mesma pessoa que jejuava? "És tu aquele Daniel...?". 

O rei Belsazar continuou a conversa e disse a Daniel: "...se puderes ler esta escritura e fazer-ne saber a sua interpretação, serás vestido de púrpura, e terás cadeia de ouro ao pescoço, e no reino serás o terceiro dominador. Então, respondeu Daniel e disse na presença do rei: As tuas dádivas fiquem contigo, e dá os teus presentes a outro..." (Dn 5.16,17)  Daniel era o mesmo! Ele olhou para o rei e informou-lhe que o que ele havia feito era perigoso (usar os utensílios da casa do SENHOR)  Daniel não se vendeu; ainda era o mesmo! Tem gente achando que pregador vendido é pregador que recebe oferta alta. Isso é um engano. Pregador vendido é aquele que altera a mensagem para agradar aquele que está ouvindo. Quer saber de uma? O bom mesmo é uma igreja fazer um alto investimento em tua vida — quando essa igreja puder fazer —  e você ainda ter coragem de abrir a boca e falar tudo que tem que falar, porque dinheiro não te compra. Pode vender 150 DVDs, pode vender 250 DVDs, pode vender 300 DVDs... só não pode tapar a minha boca. O que tiver que falar eu vou falar. Não se preocupe com quanto alguém recebe de oferta, mas se preocupe com o quanto essa pessoa está disposta a perder para falar a verdade. Daniel foi chamado pelo rei Belsazar para interpretar (Cf. Dn 5.16) e, sendo assim, ele disse: "Esta, pois, é a escritura que se escreveu: MENE, MENE, TEQUEL e PARSIM. Esta é a interpretação daquilo: MENE: Contou Deus o teu reino e o acabou. TEQUEL: pesado foste na balança e foste achado em falta. PERES: Dividido foi o teu reino e deu-se aos medos e aos persas." (Dn 5.25-28). 

Você é o(a) mesmo(a) e "ferezeu" nenhum vai roubar a tua identidade. Você vai voltar a orar do jeito que você orava; vai voltar a cantar do jeito que você cantava; vai voltar a jejuar do jeito que você jejuava; vai voltar a cantar cânticos espirituais na igreja. "Ferezeu" não vai cortar os teus dedos. E se ele já cortou, saiba que Deus tem poder de fazer os membros retornarem ao mesmo lugar. O dia em que Pedro cortou a orelha do servo do sumo sacerdote, Jesus pegou a orelha e a colocou no lugar (Jo 18.10,11; Lc 22.50,51). A tua identidade vai ser devolvida, pois o Senhor Jesus sabe restituir. Aleluia! 



Assista abaixo ao vídeo com a Pra. Helena Raquel pregando esta mensagem.